A rentrée televisiva já chegou e as apostas dos canais generalistas nacionais são muitas e variadas. E há novidades que vão para o ar já este sábado.

A TVI vai dar a conhecer dois novos programas da sua grelha: Conta-me, que terá Manuel Luís Goucha e Teresa Guilherme como intervenientes no primeiro episódio e Portugal na TVI, numa emissão especial, das 15h00 às 20h00, e que terá 20 apresentadores espalhados pelas 18 capitais de distrito no continente (e mais dois na Madeira e Açores). Em resposta, a SIC prepara-se para emitir o documentário Tony sobre o cantor Tony Carreira ao final da tarde (17:45).

Mas se sábado o público ficará a conhecer dois programas da estação de Queluz, será no dia seguinte, no domingo, que as maiores novidades serão conhecidas. “Revolução” foi o termo utilizado por Cristina Ferreira nas suas redes sociais, juntamente com o vídeo promocional, em que anunciou que ia estar no "Jornal das 8", para dar conta das novidades e do futuro do canal. É a primeira grande entrevista desde que regressou à TVI.

Depois disso, acontecerá a estreia do novo Big Brother, com a habitual gala deste tipo de reality shows. No entanto, haverá uma mudança relativamente ao BB2020: o regresso de Teresa Guilherme ao programa, 20 anos depois da sua estreia em Portugal. No entanto, esta edição do BB promete ser diferente da anterior — ou não fosse o nome oficial Big Brother - A Revolução.

Os moldes ainda não são conhecidos, mas a imprensa cor-de-rosa avança que Teresa Guilherme terá pedido para que a noite de nomeações fosse à terça-feira (e não ao domingo após a gala como aconteceu no BB2020) de modo a ter mais tempo para conversar com os concorrentes. Os rumores também apontam para que juntamente à casa principal exista um “anexo” e que existam mais expulsões do que o habitual.

Contudo, se há gala na TVI, na SIC, há documentário sobre o ator Ângelo Rodrigues, que no ano passado esteve dois meses internado após uma infeção na perna que o colocou entre a vida e a morte. “Muito se falou, ainda mais se especulou, mas a verdade só o próprio a sabe. Todas as revelações num documentário poderoso. Ângelo Rodrigues: Toda a História”, explica a estação de Paço de Arcos numa publicação nas redes sociais. 

Só que as novidades não se esgotam pelo fim de semana. Na segunda-feira, Amar Demais, a nova novela da TVI, chega às televisões dos portugueses e contará com Ana Varela, Sofia Ribeiro, Graciano Dias, entre outros, no elenco. A SIC responde com a estreia da quarta temporada de Golpe de Sorte,  novela centrada na euromilionária Maria do Céu (Maria João Abreu). 

Na luta das audiências, aos domingos, para responder às galas do Big Brother, a SIC vai responder em dose dupla: primeiro com o regresso de Ricardo Araújo Pereira ao pequeno ecrã com a nova temporada de Isto É Gozar Com Quem Trabalha e depois com O Noivo É Que Sabe, programa que conta com a apresentação de Cláudia Vieira, logo a seguir.

Porém, é impossível falar nesta reentré televisiva sem falar na grande mudança que marcou o último mês. Porque não é só no futebol que as transferências se fazem — e neste defeso o assunto dominante na televisão foi a troca de Cristina Ferreira da SIC para a TVI e os milhões envolvidos. Mas o que se passou?

Cristina Ferreira, a dona de 2,5% da TVI

Em 4 de setembro, o maior grupo de media espanhol, a Prisa, anunciou que tinha chegado a acordo para alienar quase 65% do capital da Media Capital, grupo detém a TVI e a Rádio Comercial, a “vários investidores”. Assim, durante esta quinta e sexta-feira, em cinco comunicados, foram anunciados os futuros donos de 43,5% do capital social da empresa e potenciais acionistas.

Se à hora de escrita deste artigo ainda falta saber quem serão os acionistas dos restantes 20,97% (embora o Expresso e Eco já tenham avançado de que Pedro Abrunhosa e Tony Carreira estarão entre os futuros donos da Media Capital) há um comunicado dos cinco que salta à vista: aquele que confirma que 2,5% foi adquirido pelo DoCasal de Investimentos (DCI), com sede na Ericeira. À Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a DCI informa que “é detida maioritariamente pela sua sócia Cristina Maria Jorge Ferreira”. 

Mas o que significa tudo isto? 

O regresso de Cristina Ferreira aconteceu em 1 de setembro, mas o seu regresso como apresentadora só deverá acontecer mais para outubro. Isto, porque a empresária vai ficar responsável pelo departamento de entretenimento e ficção, além de administradora não-executiva, e deverá primeiro “arrumar a casa” antes de aparecer no pequeno ecrã.

No entanto, a sua mudança da SIC para a TVI acarreta um custo elevado. Segundo as contas do Público, os valores envolvidos no negócio podem ascender a um total de sete milhões de euros. Ou seja, “a TVI vai pagar quase três milhões de euros anuais a Cristina Ferreira, mas esta, por quebra de contrato com a SIC, terá de pagar à estação uma indemnização de mais de dois milhões de euros por ter rescindido o contrato que a vinculava ao canal de Balsemão até 30 de novembro de 2022”, explica o diário. 

Por agora, aquilo que se sabe é que a empresária e apresentadora estará uma vez por semana a conduzir o seu novo programa na estação, o Dia de Cristina. Ainda não é conhecido o dia útil semanal em que vai ocupar a grelha, mas será sempre entre segunda a sexta-feira. 

O programa semanal vai ocupar a grelha de programação de um dia inteiro e vai estar no ar das 10h às 13h e das 16h às 19h, de acordo com informação revelada pela própria TVI. Ou seja, a apresentadora, uma vez por semana, vai ocupar o horário agora destinado aos programas Você na TV! e A Tarde É Sua.

Isto é SIC

A TVI registou um bom mês de agosto, mas a estação de Paço de Arcos continua a ser líder de audiências. Segundo o Meios e Publicidade, que cita uma análise audiências de televisão da agência de meios Initiative, no Top 20 de programas mais vistos, a SIC conta com 14, a TVI segue em segundo com 5 e a RTP1 tem apenas um.

Assim, "Isto é SIC" é o mote da nova campanha multimeios da estação — e nela se orientam a sua programação que arranca com as suas principais novidades já durante este mês de setembro. 

  • Polígrafo SIC, o programa de verificação de factos noticiosos estará de regresso à grelha de programação do canal de Carnaxide em 14 de setembro. 
  • 24 Horas de Vida. As gravações foram suspensas devido à pandemia, mas vai regressar ao pequeno ecrã. Bárbara Guimarães volta a apresentar.
  • Isto é Gozar Com Quem Trabalha. O programa de humor de Ricardo Araújo Pereira (e companhia) vai regressar em 20 de setembro. No horário habitual, aos domingos, depois do Jornal da Noite.
Doce
créditos: Nash Does Work

A programação da RTP para 20/21

Se bem que a luta pelo pelos dois primeiros lugares das audiências parece estar entre a SIC e a TVI, as apostas da estação público para o que resta do ano e para 2021 recaem na ficção, música, entretenimento e informação. Para já, uma novidade: Inês Lopes Gonçalves é a nova apresentadora do 5 Para a Meia-Noite e vai ocupar o lugar de Filomena Cautela no talk show. Porém, as novidades não se ficam por aqui:

Informação

  • Primeira Pessoa. Após a RTP anunciar o fim do programa de debate Pros e Contras, que esteve no ar durante 18 anos, foi revelado em comunicado o novo projeto de Fátima Campos Ferreira. Serão entrevistas construídas “a partir da narrativa pessoal do entrevista e pela jornalista”, que buscam na essência do convidado “a razão de existir”. 
  • É ou não é? Será o novo grande debate da Informação da RTP. Todas as terças-feiras à noite serão discutidos os principais assuntos da atualidade, com especialistas e comentadores. A apresentação estará a cargo de Carlos Daniel.

Entretenimento

  • Missão 100% Português. Durante 13 programas, Vera Kolodzig e João Paulo Rodrigues vão viajar pelo país e descobrir de que forma podem viver ao estilo 100% português. Os apresentadores vão receber missões que os vão levar a percorrer o país enquanto revelam produtos originais, ideias premiadas e locais encantadores.
  • Sem Fronteiras. Em cada episódio serão visitadas duas localidades, uma portuguesa e uma galega. O programa será apresentado pela portuguesa Beatriz Gosta e pelo galego Javier Varela, que irão assumir o papel de guias.

Ficção/séries 

  • O Atentado. Série que debruça sobre a história do atentado ocorrido em 1937 contra o Prof. Oliveira Salazar. Contada em 10 episódios, é da autoria de Francisco Moita Flores e conta com a realização de João Paixão da Costa (“O Processo dos Távoras” ou “A Ferreirinha”). Estreia dia 16 de setembro, às 21h00.
  • O Ano da Morte de Ricardo Reis. Série realizada e adaptada a partir da obra homónima de José Saramago vai ter cinco episódios. A realização está a cargo de João Botelho e conta no elenco com os atores Catarina Wallenstein, Chico Diaz, Hugo Mestre Amaro, Rui Morrison e Victoria guerra.
  • Salgueiro Maia - O Implicado. Esta mini-série, de três episódios, mostra Salgueiro Maia na sua intimidade, com a mulher, com os filhos e com os amigos. Uma história de ficção baseada em factos históricos. 
  • A Sombra é uma série de quatro episódios baseados no desaparecimento de Rui Pedro, em 1998, quando este tinha apenas 11 anos. A realização e argumento é da autoria de Bruno Gascon ("Carga") e conta no elenco com os atores Ana Bustorff, Ana Cristina Oliveira, Lucia Moniz, Vítor Norte e Sara Sampaio.
  • Crónica dos Bons Malandros. Adaptada a partir do livro de Mário Zambujal, esta série coloca-nos em 1983, quando um bando de assaltantes, conhecido como Os Bons Malandros, leva a cabo um assalto ao Museu Calouste Gulbenkian, numa espécie de Ocean's Eleven - Façam as Vossas Apostas (2001) à portuguesa. A realização é de Jorge Paixão da Costa e terá oito episódios. No elenco figuram Maria João Bastos, Rui Unas, Lúcia Moniz, Ana Cunha, Marco Delgado, Joaquim Nicolau, Isabel Ruth, entre outros.
  • Doce. A história pelos olhos das quatro protagonistas, as cantoras das DOCE, a primeira girls band portuguesa. A série, que terá 7 episódios, conta com a realização de Patrícia Sequeira. O filme ("Bem Bom") e a série terão ângulos "completamente diferentes", segundo afirmou a realizadora ao Observador. "No filme vamos ver a história de superação de uma banda de quatro mulheres, os altos e baixos, o preconceito, as difamações de que foram alvo, as grande vitórias e derrotas. Quanto à série, vai entrar na vida de cada uma das artistas, olhar as relações com os homens, a crueza da vida das artistas fora do palco. Foram quatro mulheres extraordinárias que ousaram desafiar o Portugal daquela altura".

Entre troca de cadeiras e regressos 

Entre março e maio de 2020, em pleno “Grande Confinamento”, Bruno Nogueira criou o “Como é Que o Bicho Mexe”. O programa consistia em conversas diárias do humorista, de segunda a sexta-feira, entre as 23h00 e as 01h00, com convidados nas suas insta-stories da rede social Instagram (@corpodormente). Nuno Markl abria, Filipe Melo fechava. Se numa fase inicial eram 20 mil pessoas a assistir em direto, por alturas da última transmissão, ou último “bicho”, foram mais de 170 mil pessoas a assistir ao “Natal”. 

Ora, depois do início do desconfinamento, em 11 de julho, o humorista confirmou que estava de regresso à SIC. Quando, como e em que termos, ainda não se sabe. Mas os rumores dão conta de que o “Bicho” pode voltar a mexer, só que numa versão televisiva. Todavia, confirmação ou informação oficial, ainda não há.

Oficial, porém, está o regresso da atriz Sofia Alves à estação de Paço de Arcos, a par do ator Paulo Rocha, após 10 anos a trabalhar para a rede Globo, no Brasil.

Todavia, em sentido inverso, seguiu Ljubomir Stanisic — que faz parte da equipa da SIC desde setembro após ter rescindido unilateralmente o contrato com a TVI. Radicado em Portugal desde 1997, o chef de cozinha natural da ex-Jugoslávia ficou conhecido por ter sido o rosto da versão portuguesa do formato internacional Kitchen Nightmares [Pesadelo Na Cozinha]. De acordo com a imprensa cor-de-rosa, já se encontra a preparar a versão portuguesa de Hell's Kitchen, originalmente apresentado por Gordon Ramsay, juntamente com Daniel Oliveira, diretor de Programas da estação de Paço d'Arcos, para concorrer com o Big Brother.

Cristina trocou a SIC pela TVI. Contudo, a apresentadora não foi sozinha. A sua "cozinheira" nos tempos do Programa da Cristina, Joana Barrios, vai trocar a Casa Feliz para, presumivelmente, assumir um papel em o Dia de Cristina. Assim como Rúben Vieira, mais conhecido por "Ben", ex-assistente de produção, para integrar a equipa do programa "Somos Portugal" — e onde já se estreou, com a rubrica O Camião do Ben.

Outra mudança na TVI foi a alteração do apresentador de Querido, Mudei a Casa. A boa-nova foi dada por Manuel Luís Goucha no programa matutino Você na TV. Assim, João Montez vai ocupar o lugar de Gustavo Santos, o qual estava envolvido com o projeto há muitos anos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.