Israel foi o país que obteve maior pontuação (529 pontos), atribuída pelos espetadores de cada país e pelos júris nacionais dos 43 países que participaram na edição deste ano, embora apenas 26 canções tenham competido na final.

Na votação do público, Israel obteve 317 pontos, suficientes para vencer, sendo a canção do Chipre a segunda mais votada pelos espetadores. O tema da Áustria não foi além da 13.ª posição na votação do público.

Esta foi a quarta vez que Israel venceu o concurso, depois dos triunfos em 1978, 1979 e 1998, neste último ano com o tema “Diva”, interpretado pela transsexual Dana International.

Na conferência de imprensa que se seguiu ao espetáculo, Netta agradeceu ao público por ter escolhido a “algo diferente” e elogiou os restantes intérpretes. Antes de responder às perguntas dos jornalistas, a artista admitiu estar nervosa, pediu desculpa pelo seu inglês e desculpou-se com um "acabei de ganhar a Eurovisão".

Sobre o momento em que Salvador Sobral lhe passou para as mãos o troféu, ele que disse em entrevista ao jornal Público disse que "Toy" era uma canção "horrível", a israelita pouco comenta. "Respeitou-me quando me deu o microfone. Já tweetei sobre esse assunto e mantenho o que disse: só tenho amor por ele", disse.

A final da 63.ªedição do Festival Eurovisão da Canção decorreu este sábado à noite na Altice Arena, em Lisboa.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.