Vários empresários deste nicho do setor hoteleiro revelam que a taxa de ocupação nos hotéis para animais de estimação está a rondar os 100% para este Natal e Passagem de Ano.

Os caninos e felinos ficam hospedados em ‘suites’ individuais com vistas para o exterior, decoradas com quadros, alcofas ou sofás a servir de ninho, mantas polares, lâmpadas de aquecimento infravermelho e até câmaras de vigilância 24 horas.

O regime pode incluir pensão completa, embora muitos hóspedes levem a comida de casa adaptada ao seu gosto e saúde.

Além de serviços médicos veterinários, há também serviços considerados de cinco estrelas, que vão desde passeios no jardim para socializar, banhos de sol em espreguiçadeiras, e até banhos em piscina coberta de água quente, para gastar energia ou perder peso.

Muitos dos donos destes animais de estimação são cidadãos brasileiros, ucranianos, russos, americanos, ingleses, chineses ou japoneses a viver em Portugal que nesta época do ano viajam de férias ou deslocam-se para visitar as famílias, acabando por ficar muitos dias fora de casa, explicam os empresários.

Na ala ‘Very Important Dog’ (VID), onde os quartos têm câmaras de vigilância 24 horas, Chiquita Banana, uma cadela Teckel, está espojada numa alcofa aquecida com lâmpada de aquecimento infravermelho e aguarda em cima de uma manta polar vermelha pela sessão na piscina de água quente, uma das atividades que existem no Hotel Mais Animais.

Perto da ala VID, mas na zona ‘standard’ do hotel, está alojado Asad, um Leão da Rodésia, que desfruta a calmaria da vida no campo num quarto com vista para o jardim, onde tem uma cama aquecida pela lâmpada de infravermelhos.

Estes dois amigos de quatro patas são hóspedes do Hotel Animais Mais Animais, uma unidade hoteleira com hospital veterinário localizado na Maia, no distrito do Porto, que está com lotação esgotada para a próxima época natalícia.

“Temos 100% de hotel lotado. Tanto para o Natal como para a Passagem de Ano”, adianta Diana Mesquita, responsável do Hotel Animais Mais, referindo que as reservas foram feitas com muita antecedência.

Uma grande parte dos clientes são brasileiros a viver em Portugal que querem passar o Natal e o Ano Novo no país de origem e, normalmente, deixam os seus animais de estimação no hotel, acrescenta Diana Mesquita.

Na unidade hoteleira Pet Hotel, em Vila Nova de Gaia (Porto), as ‘suites’ para cães e para gatos estão esgotadas para este Natal e Passagem de Ano.

“Neste momento, os três espaços da unidade hoteleira já estão lotados tanto para o fim de semana do Natal como para o do Ano Novo”, avança David Mota, responsável pelo Pet Hotel, enquanto afaga o gato Teodoro, que acaba de sair do ninho de madeira, afixado numa parede, com vista para o campo.

A percentagem de animais adotados por estrangeiros a passar as férias de Natal no hotel é cada vez mais uma tendência também no Pet Hotel, designadamente de cidadãos do Brasil, Ucrânia, Rússia, EUA, Inglaterra, mas também da China e do Japão, enumera David Mota.

“São estrangeiros que vão visitar a família no Natal e acabam por ficar para a Passagem de Ano e precisam de deixar os animais de estimação mais de 15 dias”, contou.

Em época alta, o período mais usual de cada estadia é cerca de uma semana, mas pode chegar a três ou quatro semanas, explica.

Os animais que ficam mais tempo no hotel, e que pode chegar a três ou mais semanas, são os adotados por brasileiros a viver em Portugal, porque vão para fora visitar a família, mas também há animais cujos donos são portugueses que vão de férias ou partem em trabalho e acabam por deixar os animais um fim de semana, relata David Mota.

No Pets & Family, um hotel canino na Maia, com valência para creche canina, a taxa de ocupação está quase nos 100%, embora ainda haja algumas vagas guardadas para os clientes habituais que pedem estadia à última da hora, conta João Pereira.

Neste hotel, um boa parte dos clientes que opta por deixar os seus animais de estimação são também cidadãos brasileiros em Portugal que vão passar o Natal ao Brasil, mas há também clientes nacionais que, por receberem muita família em casa, preferem colocar os canídeos num espaço mais tranquilo, explica João Pereira.

O regime no Pets & Family é aberto, ou seja, os animais andam sempre soltos, com a companhia 24 horas dos tratadores, para socializarem e não sentirem a falta dos tutores.

Neste hotel os animais de estimação dormem num quarto maior com várias camas corridas e um beliche onde dorme o tratador, porque que se mantenham mais calmos durante as pernoitas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.