A lista dos cinco finalistas é constituída pelos títulos “As Telefones”, de Djaimilia Pereira de Almeida, “A Noite das Barricadas”, de H. C. Cancela, “Felicidade”, de João Tordo, “Cidade Infecta”, de Teresa Veiga e “Contra Mim”, de Valter Hugo Mãe.

Estes títulos foram escolhidos entre os 61 apresentados a concurso, por um júri coordenado pelos pelo ensaísta José Manuel de Vasconcelos, e constituído ainda pelos professores, investigadores e escritores António Pedro Pita, Carlos Mendes de Sousa, Manuel Frias Martins, Maria de Lurdes Sampaio e Rita Patrício.

O Grande Prémio de Romance e Novela/2020, da Associação Portuguesa de Escritores, conta com o apoio da Direção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas, tem um valor pecuniário de 15.000 euros e o vencedor “será divulgado oportunamente”, segundo comunicado da Associação Portuguesa de Escritores (APE).

Dos candidatos, o escritor H.C. Cancela já venceu o Grande Prémio de Romance e Novela, com “As Pessoas do Drama”, tendo sido finalista noutras edições.

Teresa Veiga conquistou por três vezes o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco/APE, com “História da Bela Fria”, “Uma aventura secreta do Marquês de Bradomín” e “Gente Melancolicamente Louca”, além do Prémio PEN Clube Português de narrativa, por “História da Bela Fria”, entre outras distinções.

Djaimilia Pereira de Almeida, também finalista noutras edições deste Grande Prémio APE, conquistou, entre outros, os prémios Fundação Inês de Castro, Fundação Eça de Queiroz e o Prémio Oceanos de Literatura em Língua Portuguesa, com o romance “Luanda, Lisboa, Paraíso”.

João Tordo é um vencedor do Prémio José Saramago, à semelhança de Valter Hugo Mãe, e foi finalista do Prémio Literário Europeu.

Valter Hugo Mãe, por seu lado, recebeu ainda, entre outros galardões, o Prémio Almeida Garrett e o Grande Prémio Portugal Telecom de Literatura, que antecedeu o Prémio Oceanos.

O Grande Prémio de Romance e Novela da APE foi atribuído pela primeira vez em 1982, tendo sido distinguido o romance “Balada da Praia dos Cães”, de José Cardoso Pires (1925-1998).

Agustina Bessa Luís, António Lobo Antunes, David Mourão Ferreira, Vergílio Ferreira, João de Melo, Paulo Castilho, Maria Gabriela Llansol, José Saramago, Helena Marques, Mário de Carvalho, Teolinda Gersão, Augusto Abelaira, Fernanda Botelho, Maria Velho da Costa, Lídia Jorge, Vasco Graça Moura estão entre os vencedores do prémio, a que se juntam, em edições mais recentes, autores como Rui Cardoso Martins, Gonçalo M. Tavares, Ana Teresa Pereira, Alexandra Lucas Coelho, Ana Margarida de Carvalho e Paulo Varela Gomes.

No ano passado a obra vencedora foi “Tríptico da Salvação”, de Mário Cláudio, e, no ano anterior, “Um Bailarino na Batalha”, de Hélia Correia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.