O documento consiste em duas folhas manuscritas em ambos os lados - com uma caligrafia cuidada - e assinado pelo padre catedral de Burgo de Osma, Joaquín Mínguez. Neste documento, para além de ser dito que a autoria da escultura é de Manuel Bal, o padre catedral aproveita para comunicar com as gerações vindouras, ao fornecer detalhes sobre a vida do século XVIII.

A equipa responsável pelo restauro da obra (equipa Da Vinci Restauro) encontrou esta mensgaem ao remover um pedaço de pano que estava a cobrir as nádegas de uma escultura de Jesus Cristo.

De acordo com a Agência EFE, o historiador e promotor da restauração da escultura do século XVII, Efrén Arroyo, diz que esta descoberta é surpreendente e singular porque “não é comum encontrar no interior das esculturas documentos escritos à mão”. O historiador examinou o documento e afirma que esta mensagem é como “uma ocorrência ou jogo entre o autor, o padre da Catedral, e o escultor, com a intenção de ser encontrada centenas de anos depois, resultando numa cápsula do tempo”.

O Coordenador da Semana Santa de Sotillo enviou o documento original para os arquivos do Arcebispo de Burgos, onde estão os documentos do Arquivo Paroquial de Sotillo de Ribera. No entanto, foi feita uma cópia do documento para continuar dentro da escultura de Cristo, a fim de cumprir a intenção do padre.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.