"O custo exatamente não se sabe, mas a competência necessária para a restauração temo-la em Portugal. Temos os técnicos competentes, os restauradores, os entalhadores e os marceneiros: temos todas as equipas competentes para fazer essa restauração", apontou.

No final de uma visita à exposição "Além Grão Vasco", no Museu Nacional Grão Vasco, em Viseu, em que esteve presente o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, Luís Castro Mendes, sublinhou que o restauro da estátua do "Arcanjo São Miguel", derrubada por um visitante no último domingo, é um trabalho delicado, mas será levado a cabo por recursos nacionais.

"A obra é de madeira e está em condições de voltar a ser encaixada e recuperada", acrescentou.

Aos jornalistas, o ministro da Cultura destacou ainda que está programado o reforço de 37 vigilantes para os museus nacionais, no próximo ano.

"Não direi que é um número excelente, mas dir-lhe-ei que é um número bom e que julgamos adequado para melhorar. Só no MNAA, vão ser três este ano e dois no ano que vem", informou.

No seu entender, o Governo está a fazer um esforço para reforçar as equipas de vigilância dos museus, estando previsto para o Museu Nacional Grão Vasco o seu reforço com dois funcionários.

"Esta questão da queda do arcanjo não teve a ver com a questão da vigilância, porque até estava um vigilante perto. Penso que a direção do MNAA, não cabe a mim julgar, considerou que era um acidente e que não havia culpa", explicou.

Questionado sobre o orçamento e o contrato da Lusa, Luís Castro Mendes alegou que ainda terá lugar a discussão na especialidade.

"As novidades, segundo muitas fontes, serão boas", concluiu.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.