O anuncio do festival organizado pela Everything is New, nas redes sociais, aconteceu poucos minutos depois do seu promotor, Álvaro Covões, ter confirmado à RTP o adiamento do festival para 2021.

O NOS Alive regressa ao Passeio Marítimo de Algés nos dias 7, 8, 9 e 10 de julho, com os Da Weasel como a primeira grande confirmação no dia 10, no Palco NOS.

Recorde-se que a banda de "Adivinha quem voltou" já tinha sido a primeira confirmação, em 2019, para a edição que se realizaria este ano em Algés, Oeiras, de 8 a 11 de julho.

"Não nos parece que qualquer outro nome no cartaz deste festival se tenha sentido tão frustrado como nós ao saber desta notícia [adiamento], mesmo antevendo que era a única solução possível face à situação em que nos encontramos agora e nos próximos meses. A boa nova é que já estamos confirmados para o Alive em 2021, a 10 de julho", escreveu a 'doninha' nas suas redes sociais.

A banda acrescenta que é para essa nova "data que a partir de hoje iremos canalizar toda a nossa energia, sabendo que agora ainda estamos com mais fome de palco e celebração".

Em comunicado enviado à imprensa, o promotora do festival promete ainda, para breve, "informações sobre a utilização dos bilhetes adquiridos para o NOS Alive 2020, em conformidade com a Lei a publicar".

O parlamento aprovou na quinta-feira, na generalidade, a proibição, até 30 de setembro, da realização de “festivais e espetáculos de natureza análoga”.

A discussão do projeto de lei da autoria do Governo segue agora na especialidade, na comissão parlamentar de Cultura, onde é hoje votada, antes da votação final global em plenário, que deverá acontecer no final desta semana.

A proposta define que os “festivais e espetáculos de natureza análoga”, marcados até 30 de setembro, só serão permitidos com lugares marcados e regras de distanciamento. No entanto, não define o que são “festivais e espetáculos de natureza análoga” e essa questão foi levantada na quinta-feira por alguns deputados, puxando a Festa do Avante, agendada para o início de setembro, para a discussão.

O projeto de lei do Governo é aplicável ao reagendamento ou cancelamento de espetáculos não realizados entre os dias 28 de fevereiro de 2020 e 30 de setembro de 2020, e quem comprou bilhete para eventos dentro daquele período, só poderá pedir o reembolso a partir de 01 de janeiro de 2022.

Até lá, estabelece a proposta de lei, pode pedir a troca do bilhete por um vale “de igual valor ao preço pago”, válido até 31 de dezembro de 2021, e esse vale pode ser utilizado na “aquisição de bilhetes de ingresso para o mesmo espetáculo a realizar em nova data ou para outros eventos realizados pelo mesmo promotor”.

“Caso o vale não seja utilizado até ao dia 31 de dezembro de 2021, o portador tem direito ao reembolso do valor do mesmo, a solicitar no prazo de 14 dias úteis”, lê-se no documento.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.