O Museu, a Câmara Municipal e a União de Freguesias da Lourinhã e Atalaia pretendem "consolidar a afirmação da Lourinhã como a Capital dos Dinossauros e valorizar o património paleontológico do concelho, onde têm sido descobertos ossos fossilizados de dinossauro, pertencentes a várias espécies e o maior ninho dos dinossauros com os mais antigos embriões até então encontrados".

Os dinossauros chegam a partir de segunda-feira e aí permanecem até aos primeiros dias de setembro.

Os 12 novos dinossauros juntam-se aos seis que foram colocados na vila em março e, entre eles, encontram-se os carnívoros ceratosaurus, albertosaurus ou o allosaurus e os herbívoros kentrosaurus, ankylosaurus, apatosaurus e triceratops, alguns dos quais pesariam várias toneladas e atingiriam vários metros de altura e de comprimento.

A exposição de modelos de dinossauros em tamanho real integra-se na iniciativa "Dinossauros Saem à Rua", promovida pelo Museu, Câmara Municipal da Lourinhã e a União de Freguesias da Lourinhã e Atalaia entre 11 e 13 de agosto.

O programa contempla conferências nos dias 12 e 13 de agosto sobre "preparação de fósseis", por Carla Tomás, "os ovos de crocodilo mais antigos do mundo", por João Russo, "património paleontológico em Portugal", por Simão Mateus, "ovos de dinossauro da Península Ibérica", por Miguel Moreno-Azanza e "outros animais do tempo dos dinossauros", por Bruno Pereira.

Durante os três dias, estão previstas atividades para crianças, como o laboratório de paleontólogo por um dia onde têm a oportunidade de escavar e preparar fósseis, uma exposição de ilustração de dinossauros, sessões de cinema, onde vai ser apresentado um filme sobre a paleotologia da Lourinhã, ou 'street food'.

Uma equipa de 'cake designers' vai estar a construir o maior ninho e dinossauros em chocolate, com 2,5 metros de diâmetro, concorrente ao livro de recordes do mundo Guiness.

A partir de 2018, os modelos de dinossauro vão ficar em exposição permanente no futuro Parque dos Dinossauros, que deverá abrir nessa altura, ocupando na primeira fase dez dos 30 hectares do terreno onde funcionou a antiga lixeira municipal.

O investimento de 3,5 milhões de euros contempla a construção de um edifício com área de exposição de achados paleontológicos, loja e laboratório de preparação de fósseis e de um parque ao ar livre, para exposição de mais de uma centena de modelos de dinossauro em tamanho real.

O parque deverá receber por ano 200 mil visitantes, número muito superior ao do atual museu (25 a 30 mil pessoas), onde a exiguidade do espaço impede a exposição de todo o espólio já encontrado.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.