Paul Simon regressa aos álbuns dois anos depois de “Stranger to Stranger”, bem recebido pela crítica musical, publicando agora o seu 14.º disco, composto por dez temas da carreira do músico, agora renovados e transformados através de “novos arranjos e colaborações”, como as de Bill Frisell, Wynton Marsalis, Joe Lovano, Jack DeJohnette, os irmãos Odair e Sérgio Assad, ou o membro dos The National Bryce Dessner, que criou os arranjos para “Can’t Run But”, a partir dos originais do brasileiro Marco Antônio Guimarães.

O disco coincide com a última fase da digressão de despedida dos palcos de Paul Simon, de 76 anos, dos palcos, que não incluiu passagem por nenhum país lusófono.

“É uma ocorrência pouco habitual para um artista, ter a oportunidade de revisitar trabalho antigo e repensá-lo, modificá-lo e até alterar por completo partes dos originais”, afirmou Simon, citado pelo seu próprio ‘site’.

Já McCartney volta às edições discográficas cinco anos depois de “NEW”, com “Egypt Station”, álbum que inclui 14 novos temas com produção de Greg Kurstin.

Sobre o seu 17.º disco a solo, a Rolling Stone escreve que “60 anos depois de ‘Love Me Do’, com a sua lenda intacta, ‘Macca’ continua a acrescentar pérolas ao seu livro de canções, com nada a provar a não ser que é o único génio que consegue fazer isto”.

Entre “NEW” e “Egypt Station”, McCartney, também com 76 anos, trabalhou com Kanye West, Rihanna e Dave Grohl, entre outros. O antigo membro dos Beatles está em digressão, sem datas previstas para qualquer país lusófono.

No campo dos músicos com carreiras que se contam nas décadas e que fazem parte do Rock and Roll Hall of Fame, o guitarrista David Crosby anunciou hoje que o seu novo disco, “Here If You Listen”, vai ser lançado no dia 26 de outubro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.