De acordo com o canal Cheshire Live, foi roubada uma pedra de suporte de flores, que faz parte do túmulo do cantor.

Curtis liderou os Joy Division desde a sua formação, em 1976, até à sua morte, aos 23 anos, em 1980, deixando os álbuns "Unknown Pleasures", publicado há 40 anos, e "Closer", editado em 1980, que depressa se destacaram no movimento pós-punk, com os “poemas-testemunho” que assinou.

Ao longo dos últimos 39 anos, a campa de Ian Curtis transformou-se num lugar de peregrinação, na localidade inglesa de Macclesfield.

Além da pedra de suporte, agora roubada, a campa é encimada por uma outra, onde está gravado o nome de Curtis, a data da sua morte (18 de maio de 1980) e a frase "Love Will Tear Us Apart" ("O Amor Separar-nos-á", em tradução livre), referência a uma das mais conhecidas canções do grupo.

Esta pedra inscrita é uma réplica, feita depois do desaparecimento da original, em 2008.

O porta-voz do cemitério confirmou o desaparecimento, acrescentando ao Cheshire Live que o furto terá "possivelmente ocorrido durante o fim de semana".

Disse ainda, de acordo com a imprensa britânica, que esta pedra não possuía qualquer tipo de inscrição.

Após a morte de Ian Curtis, os restantes membros da banda de Manchester reuniram-se nos New Order, que se mantêm ativos, e que vão atuar em Portugal, este mês, no festival Paredes de Coura.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.