Gus Van Sant não é um nome desconhecido — mas também não é um nome dos palcos. O realizador norte-americano estreia-se na boca de cena com “Andy”, um espetáculo de teatro musical, anunciou hoje o Teatro Dona Maria II, na apresentação da temporada 2021-2022, a última com a assinatura do ainda diretor artístico Tiago Rodrigues.

"Andy", um musical inspirado em Andy Warhol e desenvolvido inteiramente por uma equipa portuguesa, está integrado na programação da BoCA, Bienal de Artes Contemporâneas 2021. Tem estreia mundial marcada para o dia 23 de setembro e é patrocinado pelo novo “parceiro de inovação do D. Maria II”, a everis NTT DATA Portugal.

"Depois de um percurso absolutamente genial no cinema, decide lançar-se na criação teatral", explica Tiago Rodrigues, sobre o espetáculo que tem na música o português The Legendary Tigerman.

Depois, reabre a Sala Estúdio, a 29, com “Silêncio”, peça escrita e dirigida em dupla pelo francês Cédric Orain e pelo português Guilherme Gomes.

Uma programação que reforça aquilo que Tiago Rodrigues define como a missão de "teatro da memória" que o D. Maria II guarda — seja pela revisitação dos grandes textos, seja pelos novos olhares ao passado (ou à história recente de Portugal).

Entre as novidades para a próxima temporada está o projeto D. Maria Matos, uma parceria entre o D. Maria II e ao Teatro Maria Matos, também na capital, "que visa prolongar a vida dos espetáculos na cidade de Lisboa", arrancando, em janeiro de 2022, com o regresso aos palcos de "Última Hora", encenação de Gonçalo Amorim do texto de Rui Cardoso.

Eunice Munoz vai ainda celebrar os 80 anos de carreira, no dia 28 de novembro, no palco da Sala Garrett — oito décadas depois de ter subido a este mesmo palco com "Vendaval".

“Com o objetivo de dar continuidade à missão de serviço público do Teatro Nacional D. Maria II, a nova Temporada dará palco aos grandes textos da biblioteca teatral e a criadores nacionais e internacionais de referência, ao mesmo tempo que aposta nas novas dramaturgias, na diversidade e na pluralidade de vozes”, diz a estrutura em comunicado.

Assim, da programação para os próximos meses fazem parte apresentações como “Espectros”, pelo Teatro Nacional de São João, no Porto, com encenação de Nuno Cardoso, ou “Paraíso - Divina Comédia”, pelo Teatro O Bando, com encenação de João Brites.

A programação da próxima temporada do D. Maria II, com dezenas de novos espetáculos e atividades, foi apresentada esta tarde, em Lisboa, com a presença da ministra da Cultura, Graça Fonseca, e dos atual e futuro diretores artísticos deste teatro nacional, respetivamente, Tiago Rodrigues e Pedro Penim.

Pedro Penim que é, para Tiago Rodrigues, "uma extraordinária escolha" do governo para o futuro deste teatro, assume funções em meados de novembro.

Pedro Penim no D. Maria II é fator de enorme tranquilidade

“Já sabemos que a direção artística do D. Maria ficará nas mãos muito eficazes, criativas, imaginativas e enérgicas do Pedro Penim”, sublinhou Tiago Rodrigues.

Sobre a sua sucessão por Pedro Penim à frente da direção artística do D. Maria II, Tiago Rodrigues considerou ainda “muito importante” que “rapidamente” se soubesse quem o iria suceder, uma vez que a sua função naquele teatro em Lisboa “estava em final de ciclo”.

“E, portanto, não só a escolha é uma escolha absolutamente excelente, como o ‘timing’, que é um ‘timing’ que permite a passagem de pasta tranquila, calorosa e rigorosa, e permite, sobretudo, manter a estabilidade de uma casa que, com o nível de ambição, com as complexidades, com o volume de trabalho, com a dinâmica do D. Maria, precisa de manter”, sublinhou.

“Eu e o Pedro estamos a trabalhar, a comunicar e a assegurar desde já a passagem da pasta, que acho que vai acontecer solidamente nos próximos meses”, disse, acrescentando estarem os dois em diálogo com o conselho de administração do teatro e com a tutela para definir a data em concreto.

“Trata-se de um formalismo, saber qual é o dia em que Tiago Rodrigues deixa de descontar para os impostos e para o IRS e para a Segurança Social pelo D. Maria e em que dia é que começa o Pedro Penim”, frisou.

Pedro Penim foi nomeado, em 18 de agosto, pela ministra da Cultura, novo diretor artístico do D. Maria II, por um período de três anos. Na altura da nomeação, o Ministério da Cultura frisou o facto de ter sido fundador do Teatro Praga, “uma companhia emblemática da criação teatral portuguesa contemporânea”.

Tiago Rodrigues disse ainda esperar deixar a Pedro Penim, que "é não só um artista, mas um pensador muito interessante do teatro, a liberdade, a autonomia e a confiança para pensar e para imaginar o seu projeto” para aquela instituição cultural situada em Lisboa.

Nascido em Lisboa em 1975, Pedro Penim criou também o espaço Rua das Gaivotas 6.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.