O Museu Coleção Vintém, na Igreja de Santiago, naquela vila medieval alentejana, no concelho de Reguengos de Monsaraz (Évora), abriu esta semana e reúne dezenas de instrumentos musicais e tradicionais do mundo, segundo a câmara municipal.

As raridades são propriedade do professor e produtor musical Fernando Vintém e a exposição engloba membranofones, aerofones, cordofones e idiofones, acrescentou o município.

Um dos destaques é um violino Antonius Stradivarius Cremonensis, datado de 1703 e construído por António Stradivari (1644-1737).

Os visitantes podem também apreciar um Teponaztli, “que é um tipo de tambor de fenda usado no centro do México pelos aztecas e culturas relacionadas”, disse a autarquia.

Da coleção, faz igualmente parte uma Ocarina do Brasil, “um instrumento de sopro em formato oval ou oviforme feito geralmente de porcelana, terracota, madeira ou pedra, e que é considerado um dos instrumentos musicais mais antigos do mundo”.

Um Nyatiti, alaúde de taça de cinco a oito cordas, proveniente do Quénia, uma Flauta Espírita da Guiné-Conacri, a qual “tem como curiosidade a superstição de ninguém a ter tentado tocar”, ou um Mijwiz, um instrumento musical tradicional do Oriente Médio, popular na Palestina, Líbano, Jordânia e Síria, também estão expostos.

O Tibete está representado por uma trombeta Dung Cheng, usada nas cerimónias budistas tibetanas e da Mongólia, a Índia por um Bansuri, instrumento musical ancestral associado à tradição pastoral e ligado à história de amor entre Krishna e Radha, Marrocos pelo instrumento de percussão Tbilat, o Gana por um Balafón, “comum na África subsaariana e precursor do xilofone”, e o Zimbabué pelo Mbira, “uma família de instrumentos musicais tradicionais do povo Shona”.

Uma Trombeta de Faraó do Egipto, um raro Sueng (Tailândia), um Duff (Marrocos), um Pellet (Nepal), uma Flauta Doce (Indonésia), uma Darbuka (Antigo Egito), um Ngombi (Gabão), um Tambor de Joelho (África ocidental), um Tambor Yoruba (Nigéria), um Daff (Egito) e uma Zobra (Tunísia) também fazem parte da coleção.

De acordo com a câmara municipal, estão igualmente em exposição no museu um Tin Whistle, que é uma pequena flauta de metal tradicional da Irlanda, e as Castanholas Mirandesas, de Portugal, entre muitos outros instrumentos.

O Museu Coleção Vintém pode ser visitado diariamente, entre as 09:30 e as 12:30, e entre as 14:00 e as 17:30.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.