"Pensamos que, neste momento, com as medidas que estão a ser implementadas e com a recuperação do setor turístico, que pensamos que vai acontecer já no final deste mês de maio, vai haver aqui uma inversão e vamos conseguir diminuir a taxa de desemprego", declarou Augusta Aguiar.

A governante, que falava na cerimónia de deposição de flores no Monumento ao Trabalhador Madeirense (peça escultórica da autoria de Ângelo Teixeira), na Avenida Sá Carneiro, no Funchal, no âmbito das comemorações do 1.º de Maio, afirmou que “mais do que os números, o que interessa é que são pessoas", indicando que o número de desempregados na região era de 20.182 no final de 2020, segundo os dados oficiais do Instituto Nacional de Estatística (INE) e do EUROSTAT - Gabinete de Estatísticas da União Europeia.

"O que nos preocupa é criar as condições para que este número seja diminuído rapidamente e que a Região Autónoma da Madeira volte a ser como era antes da pandemia, a região com a taxa mais baixa de desemprego - 5,6% -, abaixo da taxa nacional e da taxa da União Europeia", reforçou.

Augusta Aguiar indicou que, em 2020, foram investidos 23,6 milhões de euros de apoio direto aos trabalhadores e 68 milhões através das empresas, nas áreas tuteladas pela Secretaria Regional de Inclusão Social e Cidadania, o que travou a taxa de desemprego nos 10,7%, quando as previsões iniciais apontavam para valores entre 13% e 18,5%.

"Contudo, como é lógico, não é uma taxa de desemprego que nos satisfaça", disse, reforçando: "Queremos baixar esta taxa de desemprego, queremos fomentar o emprego, queremos dar proteção social aos trabalhadores".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.