Segundo comunicado enviado pela REN – Redes Energéticas Nacionais, o valor registado de 2,5 terawatts-hora (TWh) superou o anterior recorde de 2,3 TWh, observado em 2022.

“Entre as barragens mais produtivas destacam-se a de Gouvães com 35% do total, e as de Alqueva e Venda Nova/Frades, com 20% cada”, apontou a REN.

A produção de energia a partir de bombagem é possível em barragens equipadas com bombas hidroelétricas, que bombeiam a água de um reservatório inferior para um reservatório superior, possibilitando a sua “reutilização” para a produção de energia elétrica em momentos em que a energia elétrica tem maior procura, explicou a gestora do sistema elétrico nacional.

A utilização das bombas aumentou significativamente nos últimos dois anos e prevê-se que, nos próximos anos, com a crescente incorporação de renováveis no Sistema Elétrico Nacional, a utilização das bombas das centrais hídricas continue a aumentar de forma relevante.

Atualmente, o Sistema Elétrico Nacional tem uma potência instalada nas bombas hidroelétricas de 3.585 megawatts (MW), para uma potência hídrica total de 8.216 MW.

A potência máxima histórica absorvida pelas centrais com bombagem foi de 2.492 MW em janeiro de 2021 e, este ano, o máximo atingido até ao momento foi de 2.474 MW, no mês de setembro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.