“No mês da revolução dos cravos, a EGEAC (…) apresenta uma programação que lembra os valores e as conquistas de abril, evocando a América Latina no ano em que Lisboa é capital Ibero-americana da Cultura”, lê-se no comunicado enviado hoje pela empresa municipal de Lisboa.

Uma das principais atrações do programa é a exposição “Operação Condor” do fotógrafo João Pina, inaugurada pela primeira vez em Portugal a 20 de abril, que pretende homenagear as vítimas de regimes ditatoriais os quais “utilizaram meios brutais para calar e controlar aqueles que se opunham ao sistema”, refere o comunicado.

A cerca de uma centena de imagens de “sobreviventes”, “familiares de vítimas” e ainda “lugares de reclusão e tortura” foram captadas pelo fotógrafo português entre 2005 e 2014 e resultaram num livro que foi agora reeditado para ser apresentado juntamente com a exposição.

O programa “Abril em Lisboa” conta ainda com a primeira edição do festival Política, nos dias 21 e 22 de abril, cujo tema será a abstenção eleitoral, onde serão recolhidas “ideias exequíveis“ para combater esta problemática para serem “entregues aos grupos parlamentares e partidos portugueses”, segundo uma nota de imprensa relativa a este evento.

O festival decorre no Cinema São Jorge e terá iniciativas para crianças e adultos das quais se destacam uma conversa entre cidadãos e deputados - Sérgio Azevedo (PSD), Rita Rato (PCP), Heloísa Apolónia (PEV), Mariana Mortágua (Bloco de Esquerda), André Silva (PAN), Isabel Moreira (PS) e Ana Rita Bessa (CDS-PP).

Ao lado, será aberta “pela primeira vez” a sala de projeção privada do edifício da Rank Filmes, que terá sido utilizada pela Comissão de Censura aos Espetáculos, onde, durante os dias 22, 23 e 24 de abril, será exibido o filme “Censura: alguns cortes”, de Manuel Mozos, montado “a partir de cortes realizados por censores”, diz a mesma nota.

O programa “Abril em Lisboa” vai passar ainda pelo Museu do Aljube, onde se vai realizar a segunda edição dos Dias da Memória, que convida o “público a partilhar objetos e testemunhos da revolução” com destaque para a apresentação de um documentário com “imagens inéditas” e uma visita guiada ao edifício onde funcionou a “antiga prisão política”, sublinha a mesma fonte.

Na véspera do 25 de abril haverá, no Terreiro do Paço, o concerto “Canções para Revoluções” que homenageará a canção de intervenção com artistas como António Zambujo, Lura, Sílvia Perez Cruz e Vitorino.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.