De acordo com o relatório da atividade do primeiro semestre deste ano da Direção-Geral de Proteção Social dos Trabalhadores em Funções Públicas (ADSE), as receitas desta estrutura de proteção dos funcionários públicos aumentaram 6,9 milhões de euros relativamente aos valores obtidos no mesmo período de 2015.

Segundo o documento, a que agência Lusa teve acesso, o acréscimo de receitas deve-se ao aumento dos descontos dos beneficiários titulares, que tiveram um aumento de 3,71%, em termos homólogos, o que corresponde a mais 10 milhões de euros.

Este acréscimo é justificado pelo início da reposição salarial na função pública e pela entrega dos descontos dos trabalhadores da Madeira.

As receitas provenientes da contribuição da entidade empregadora caíram 30% (724.722), dado que deixou de ser obrigatória em janeiro de 2015 e, por isso, as contribuições que persistem são relativas a acordos ainda em vigor.

Nos primeiros seis meses deste ano o número de beneficiários titulares era de 836.317, o que corresponde a um decréscimo de 1,29%, menos 10.964 contribuintes que no mesmo semestre do ano passado.

O número de beneficiários titulares da ADSE tem vindo a cair gradualmente desde 2012, ano em que eram 880.896.

No primeiro semestre de 2016, o desconto médio por trabalhador para a ADSE foi de 338 euros, quando a remuneração média mensal foi de 1.381 euros.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.