Os dois homens mantiveram na quarta-feira um contacto telefónico, após uma polémica relacionada com declarações do Presidente dos EUA, Donald Trump, quando referiu que poderia facilmente “vencer a guerra” numa semana, mas que não pretendia “matar dez milhões de pessoas”. O seu homólogo afegão pediu “esclarecimentos” a Washington.

O comunicado, divulgado pelo Departamento de Estado, refere que Mike Pompeo “assegurou ao Presidente Ghani que a estratégia do Presidente Trump não foi alterada”, em particular no “compromisso americano de uma retirada condicional” das suas tropas do Afeganistão, envolvidas num prolongado conflito.

Pompeo e Ghani “concordaram ter chegado o momento de acelerar os esforços para garantir um fim negociado da guerra no Afeganistão”, segundo o texto.

O negociador dos Estados Unidos, Zalmay Khalilzad, regressa esta semana Cabul, onde a administração Trump também enviou o seu chefe de estado-maior, general Joseph Dunford, para “discutir em detalhe as próximas etapas no caminho da paz”, precisou o Departamento de Estado. Os EUA mantêm cerca de 14.000 militares no país asiático.

O emissário norte-americano deverá de seguida deslocar-se de novo a Doha, no início de agosto, para retomar as negociações com os talibãs.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.