Hoje, 4 de julho, Portugal anunciou não ter registo de mortes atribuídas à covid-19 nas últimas 24 horas, o que já não acontecia desde 14 de junho, e apontou a existência de 2.041 novos casos de infeção, bem como um aumento nos internamentos.

No que toca à vacinação, a partir desta data vão ser vacinadas pessoas com idades entre os 18 e os 29 anos e o vice-almirante Gouveia e Melo afirmou que o país está numa "corrida contra o tempo" para aumentar o número de vacinados e travar os contágios, apontando que em setembro 70% da população já tenha a vacinação completa.

Lá fora, no que diz respeito à pandemia, o Irão anunciou a reposição de restrições face ao novo coronavírus nas principais cidades, à medida que a disseminação da variante Delta estimula o medo do aparecimento de outro surto devastador no país. Já a Rússia registou hoje 25.142 novos casos de covid-19, máximo diário desde 2 de janeiro deste ano. No Luxemburgo, o primeiro-ministro Xavier Bettel foi hospitalizado para observação por 24 horas "por precaução" e para fazer análises complementares, uma semana após ter testado positivo.

Contudo, há muitas histórias de hoje — em Portugal e no estrangeiro — que não têm como tema a pandemia. Ora vejamos:

  • Sabia que uma ideia pode mudar a vida de 27 países? A Iniciativa de Cidadania Europeia, que nasceu com o Tratado de Lisboa, permite isso mesmo, já que o Parlamento Europeu quer que os cidadãos participem mais nas decisões sobre a União Europeia. Este artigo ajuda a perceber tudo — e a conhecer as seis propostas que já foram bem-sucedidas;
  • Ainda não é uma da manhã, mas não deixa de ser oportuno saber mais sobre as Doce, a poucos dias da estreia de "Bem Bom", a biopic sobre a banda. Por isso, este texto é uma boa forma de recordar a história do grupo que ajudou a moldar os anos 80 num Portugal acabado de sair de meio século de ditadura;
  • Há mar e mar, há ir e voltar. A frase não será aqui aplicada a banhos, mas sim ao regresso do navio-escola Sagres às suas viagens de instrução. Os cadetes do 3.º ano da Escola Naval já estão a bordo e até setembro estão previstas passagens por sete portos, incluindo nos arquipélagos da Madeira e dos Açores;
  • Diretamente do Vaticano chegou a notícia da operação do Papa Francisco a uma "estenose diverticular sintomática do cólon". A intervenção estava programada e prevê-se uma atualização do estado de saúde do pontífice em breve;
  • Nas pistas de Fórmula 1, o holandês Max Verstappen venceu o Grande Prémio da Áustria e aumentou a vantagem sobre o britânico Lewis Hamilton, quarto classificado;
  • Quase no Espaço. O patrão da gigante do 'e-commerce' Amazon, Jeff Bezos, abandona segunda-feira o cargo de diretor-geral para dedicar-se a outros projetos e viaja para o espaço dia 20 de julho;
  • Há também espaço para tragédias na atualidade. No dia de hoje, pelo menos 45 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas num acidente com um avião militar filipino que se despenhou e incendiou quando tentava aterrar;
  • O furacão Elsa continua a fazer estragos. Até ao momento, pelo menos três pessoas morreram na sequência da sua passagem na República Dominicana e na ilha de Santa Lúcia;
  • Lembra-se do navio porta-contentores que encalhou no Canal do Suez? Foi hoje anunciado um acordo para libertar, na próxima quarta-feira, o "Ever Given", retido desde março após ter bloqueado aquela via de navegação crucial para o comércio internacional.

Em vertentes diferentes, todas estas histórias mostram que o mundo não fica parado, nem mesmo com uma pandemia que obriga a abrandar o ritmo normal dos dias. Olhando para elas — e fazendo os possíveis para lutar contra um inimigo invisível —, que se possa pensar nos dias em que se vai finalmente abrandar o ritmo das notícias sobre covid-19.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.