Nas últimas 24 horas o país registou 663 mortes por covid-19, elevando o número de óbitos devido à pandemia para os 137.925.

O aumento explosivo dos contágios nas últimas semanas fez disparar o número de óbitos, que duplicou em comparação com os dados do início de junho.

Na última semana registaram-se cinco máximos diários consecutivos de mortes por covid-19.

As autoridades sanitárias atribuem 90% dos novos casos à variante Delta do coronavírus.

Os principais focos de infeção são Moscovo e São Petersburgo, as duas maiores cidades do país, onde nas últimas 24 horas ocorreram, respetivamente, 111 e 104 mortes por covid-19, quase um terço das registadas em toda a Rússia.

Apesar da deterioração da situação pandémica, as autoridades russas descartaram, até ao momento, a imposição de confinamentos ou a paralisação das atividades económicas.

Para travar a propagação do coronavírus, várias entidades da federação russa, entre as quais Moscovo, ordenaram a vacinação obrigatória das pessoas que trabalham em setores de risco.

A Rússia, com 5.610.941 infeções, é o quinto país do mundo com maior número de casos, depois dos Estados Unidos, Índia, Brasil e França.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 3.964.799 mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 182,5 milhões de infeções, segundo o balanço mais recente feito pela agência francesa AFP.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.