“O regresso aos mercados financeiros é um passo importante. O objetivo da política de resgate é precisamente que a Grécia possa valer-se por si mesma”, disse o porta-voz do Ministério da Economia, Jürgen Weissgerber.

O responsável referiu, no entanto, que “o processo de reformas deve continuar e que não deve afrouxar”.

Weissgerber não quis comentar a resposta do mercado, pois explicou que se trata de decisões livres dos investidores, mas esclareceu que a operação é algo que deve ser comemorado.

Depois de três anos de ausência dos mercados financeiros, o governo grego afirmou que “o país recuperou a confiança dos investidores internacionais”.

O leilão de obrigações do Tesouro a cinco anos realizado na terça-feira permitiu à Grécia financiar-se em 3.000 milhões de euros a uma taxa de juro de 4,625%.

A esta se seguirão outras emissões de dívida nos próximos meses.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.