"Essencialmente, [feminismo] consiste em dizer que homens e mulheres são iguais, na sua participação na vida em sociedade. Neste sentido, posso agora dizer que sou uma feminista", disse Merkel durante uma conversa com a escritora nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, de acordo com a agência France-Press (AFP).

"Na minha opinião, o 'feminismo' está vinculado a um movimento que luta pela inserção [da igualdade de género] na agenda social", explicou.

Estas declarações representam uma das posições mais claras de Merkel acerca do feminismo, depois de, nos últimos anos, ter sido ambígua nessa questão.

Após 16 anos à frente do Governo alemão, Merkel, de 67 anos, vai deixar o cargo de chanceler após as eleições legislativas alemãs, marcadas para 26 de setembro.

A jornalista alemã Miriam Meckel contou que há uns meses que fez a mesma pergunta à líder da CDU, que deu uma resposta pouco clara. "Antes era mais tímida no palco, mas agora refleti melhor. Neste sentido, posso dizer que, sim, devemos ser todas feministas", explicou.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.