"Estamos insatisfeitos, em primeiro lugar, com os resultados constatados. Estamos em crer que, de acordo com o que vimos no processo, nas assembleias de voto, esses resultados não correspondem à verdade", disse Humilde Samarina numa primeira reação ao anúncio dos resultados provisórios quando estão contabilizados 97,82% dos votos.

Nos totais nacionais, o Partido de Renovação Social (PRS) segue com 89.192 votos (1,33%), elegendo dois deputados (menos um do que em 2012). Surge em quarto lugar, atrás do MPLA, da UNITA e da coligação CASA-CE.

Humilde Samarina também contestou a forma tardia como a CNE comunicou aos mandatários dos partidos os resultados das várias províncias angolanas e admite não reconhecer a votação.

"Só agora a CNE comunica aos comissários eleitorais municipais os resultados da Lunda Norte e de Luanda. Se este procedimento continuar nós não poderemos reconhecer estes resultados. Não estamos felizes", concluiu.

O cabeça de lista do PRS às eleições gerais era o presidente da formação, Benedito Daniel.

Já o porta-voz da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), Joveth Sousa, preferiu não se alongar em comentários sobre os resultados, afirmando que ainda estão a ser contabilizados votos.

De acordo com os dados da CNE, a FNLA segue com 60.808 votos (0,91% do total), mas o suficiente para eleger um deputado, o cabeça de lista e presidente da formação, Lucas Ngonda. Em 2012 o partido tinha conseguido dois assentos na Assembleia Nacional.

"Nós continuamos a contabilizar o nosso eleitorado, os resultados dos nossos simpatizantes. O gráfico continua a subir e ainda falta 3% a nível nacional. Consideramos que o gráfico vai continuar a subir", afirmou Joveth Sousa.

O MPLA venceu as eleições gerais angolanas com 61,70% dos votos, de acordo com a atualização dos dados provisórios da votação de quarta-feira divulgada hoje pela Comissão Nacional Eleitoral, elegendo João Lourenço como o próximo Presidente da República.

De acordo com os dados avançados pela porta-voz da CNE, Júlia Ferreira, quando estão escrutinados 9.114.386 votos (97,82% do total), o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) lidera a contagem nacional, com 4.071.525 votos (61,10%), seguido da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), com 1.780.038 votos (26,71%)

Com este resultado, que corresponde a um total de 150 mandatos para o MPLA, o partido no governo em Angola consegue também manter a maioria qualificada (acima dos 147 deputados eleitos), apesar da forte quebra da votação face às eleições gerais de 2012.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.