Na primeira sessão de trabalhos da cimeira de chefes de Estado e de Governo que tem lugar entre hoje e sexta-feira, António Costa observou que o lançamento oficial da Cooperação Estruturada Permanente, hoje realizado na sede do Conselho Europeu, é uma boa forma de celebrar o Tratado de Lisboa, precisamente o tratado que abriu a porta à possibilidade de reforço da cooperação europeu na área da Defesa.

Para celebrar ainda melhor o aniversário do Tratado de Lisboa, assinado em 13 de dezembro de 2007 no Mosteiro dos Jerónimos, durante a última presidência portuguesa da União Europeia, o primeiro-ministro também ofereceu aos seus homólogos garrafas de vinho do Porto, advertindo que este melhora com o tempo, e que daqui por 10 anos, no vigésimo aniversário, será ainda melhor, tendo sido brindado com aplausos dos restantes chefes de Estado e de Governo da União.

O último Conselho Europeu do ano, que decorre entre hoje e sexta-feira em Bruxelas, é dominado pelas discussões em torno do 'Brexit' e por uma "Cimeira do Euro" dedicada ao aprofundamento da União Económica e Monetária, dois temas que estão na agenda do segundo dia de trabalhos.

Hoje, o momento alto foi o lançamento formal da Cooperação Estruturada Permanente, mecanismo que visa o reforço da cooperação no domínio da defesa, numa cerimónia que contou com a participação dos 25 Estados-membros que decidiram aderir, entre os quais Portugal (apenas Reino Unido, Dinamarca e Malta ficaram de fora).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.