O agressor que ontem matou uma mulher na casa de repouso "Les chênes verts", nos arredores de Montpellier, em França, foi detido esta sexta-feira. O homem é um ex-militar de 47 anos e ex-funcionário do lar, tendo sido preso perto da sua residência, cita a Reuters.

Estiveram envolvidos cerca de 130 agentes de várias forças policiais francesas que trabalharam em conjunto para localizar e apanhar o fugitivo.

Apesar do estado de emergência em que a França se encontra devido aos ataques terroristas ocorridos o ano passado, a polícia excluiu esta hipótese durante a madrugada.

Um homem entrou num lar para monges nos arredores de Montpellier em França e fez cerca de 60 reféns. Uma mulher morreu no ataque e os meios de comunicação franceses adiantam que se trata da porteira da casa de repouso. As forças policiais foram alertadas - segundo algumas fontes pela mulher que acabou sendo a vítima mortal - e chegaram rapidamente ao local, colocando em segurança os seus habitantes e revistando todo o espaço à procura do agressor.

Segundo as informações divulgadas nas horas que se seguiram ao ataque, pouco antes das 22h locais de quinta-feira, um indivíduo, encapuçado e armado com uma caçadeira de canos serrados e uma faca, invadiu sozinho o local. "Às 22h locais, uma mulher que trabalhava no lar ligou para os gendarmes [polícia francesa], alertando que tinha sido atacada por um homem", contou Barret.

[Notícia atualizada às 18:47]

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.