A tartaruga de casco mole do rio Yangtze conta com apenas três exemplares conhecidos no mundo, após a morte, no sábado, de uma fêmea de pelo menos 90 anos no zoo da cidade de Suzhou, na região de Xangai, segundo o ‘Jornal de Suzhou’.

O animal faleceu um dia depois de a instituição o ter submetido a uma operação considerada a última oportunidade de salvar a espécie: a fêmea foi inseminada com sémen de um macho desse mesmo zoo, com mais de 100 anos.

Há vários anos que o parque tentava fazê-los acasalar naturalmente. Os investigadores vão agora fazer uma necropsia para saber o que aconteceu com o animal.

Além do macho mencionado, restam agora dois exemplares conhecidos que vivem em liberdade no Vietname, embora os respetivos sexos sejam desconhecidos.

A tartaruga do Yangtze, a mais velha de água doce, pode chegar a um metro de comprimento e pesar mais de 100 quilos.

O réptil, cujo habitat se estendia pelo rio Yangtze e por outros rios chineses, foi vítima da caça, da poluição, do tráfico fluvial e da proliferação de represas.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.