Em comunicado, a GNR, adiantou que os 114 mil maços de cigarros apreendidos não tinham qualquer estampilha fiscal.

“No âmbito de uma fiscalização rodoviária foi intercetado e fiscalizado um pronto-socorro, que se deslocava para Espanha, o qual rebocava duas viaturas. Os militares verificaram que uma das viaturas rebocadas continha uma quantidade avultada de maços de cigarros no seu espaço de carga, sem ostentarem qualquer estampilha fiscal”, é referido.

O condutor da viatura pronto-socorro, de 38 anos, foi constituído arguido, sendo indiciado pela prática do crime de Introdução Fraudulenta no Consumo.

Além dos 114 mil maços de cigarros, no total de dois milhões e 280 mil cigarros) foi também apreendido um veículo ligeiro de mercadorias.

“A mercadoria apreendida apresenta um valor presumível de 513 mil euros, o que se traduz numa fraude ao Estado superior a 400 mil euros”, indica ainda a GNR.

Na operação estiveram envolvidos 12 militares do Destacamento de Ação Fiscal de Faro, do destacamento de Trânsito de Faro e do destacamento territorial de Tavira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.