China — 130 novas infeções

A Comissão de Saúde da China anunciou 130 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, incluindo 115 de contágio local, a maioria nas províncias de Hebei e Heilongjiang.

Hebei, que conta com várias cidades seladas e milhões de habitantes em quarentena, diagnosticou 90 casos de origem local, enquanto na província de Heilongjiang, na fronteira com a Rússia, foram registados 23 contágios locais.

Os restantes dois casos locais foram identificados nas províncias de Shunyi e em Pequim.

A Comissão de Saúde da China contabilizou ainda 15 casos oriundos do exterior, os chamados “importados”. A cidade de Xangai (leste) somou sete contágios, Tianjin (norte) três, enquanto as províncias de Sichuan (centro) registaram dois, e as de Chongqing (centro), Hunan (centro) e Shaanxi (centro) um cada uma.

As autoridades também indicaram ter detetado 79 assintomáticos, 24 dos quais importados, embora Pequim só inclua estes doentes nos casos confirmados se manifestarem sintomas da covid-19.

A Comissão de Saúde da China disse que, nas últimas 24 horas, 18 pacientes receberam alta, pelo que o número de pessoas infetadas ativas no país se fixou em 1.113, incluindo 38 em estado grave.

O organismo tinha anunciado uma nova morte devido à covid-19, na quinta-feira, depois de quase oito meses, desde 17 de maio, sem registar nenhum óbito causado pela doença. O número de mortes é agora de 4.635.

O país somou, no total, 88.118 infetados desde o início da pandemia.

México — 21 mil casos num só dia 

Na véspera, o país já tinha alcançado um novo máximo diário, com 16.468 casos confirmados.
Nas últimas 24 horas, registaram-se também 1.106 mortes, elevando o total de óbitos para 139.022.

O México continua a ser o quarto país do mundo com mais mortes por covid-19, depois de Estados Unidos, Brasil e Índia, e o 13.º em número de infeções, de acordo com a contagem da Universidade norte-americana Johns Hopkins.

O país, que nas últimas semanas sofreu um aumento de casos e de vítimas mortais de covid-19, iniciou a campanha de vacinação em 24 de dezembro, tendo já vacinado 415.417 trabalhadores do setor da saúde, informaram as autoridades sanitárias na sexta-feira (madrugada de sábado em Portugal).

O México foi um dos primeiros países do mundo a iniciar a vacinação, apostando em imunizar a população, de 130 milhões de habitantes, até março de 2022.

EUA

Os Estados Unidos contabilizaram 3.465 mortes nas últimas 24 horas, além de 221.258 casos, segundo uma contagem independente da Universidade Johns Hopkins.

Desde o início da pandemia, os EUA acumularam mais de 23,5 milhões de casos confirmados (23.503.587) e 391.624 mortos.

O Presidente eleito norte-americano, Joe Biden, afirmou na sexta-feira que o país continua num "inverno muito obscuro" devido à pandemia e avisou que "as coisas vão piorar antes de melhorar".

Biden, que toma posse em 20 de janeiro, pretende atingir os 100 milhões de pessoas vacinadas nos primeiros 100 dias da nova administração, de forma a permitir reabrir a maioria das escolas até à primavera.

O plano de Biden prevê ainda o aumento do pessoal médico em 100 mil pessoas e dos testes de despistagem de covid-19.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.