Numa ação de fiscalização no âmbito da vigilância da comercialização através da Internet, realizada na Figueira da Foz, distrito de Coimbra, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), através da sua Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal (UNIIC), instaurou “um processo de contraordenação, contra um indivíduo, por venda ilegal de espécimes de espécies protegidas”.

Na sequência deste processo, as autoridades apreenderam quatro dentes de marfim de cria de elefante, que “carecem de um certificado de acompanhamento CITES - Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção”.

De acordo com a ASAE, a exportação de dentes de marfim de cria de elefante é proibida para fora do espaço comunitário.

Os espécimes de espécie protegida confiscados na Figueira da Foz encontravam-se “à venda na internet por 1.500 euros”, indicou a ASAE, em comunicado.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.