Em 2019 a APAV registou 54.403 atendimentos que permitiram acompanhar mais de 11 mil vítimas.

As estatísticas apontam para um total de crimes e outras formas de violência a ultrapassar a faixa dos 29 mil, tendo-se registado um aumento de cerca de 40% do total face a 2018.

A maioria dos crimes assinalados diz respeito aos que são contra as pessoas (95,9%), com especial relevo para os crimes de violência doméstica (79%).

Mas a APAV realça também os crimes contra o património que, em 2019, representaram 1,8% do total assinalado pela associação.

Segundo o relatório anual da APAV os atendimentos foram feitos nos serviços de proximidade da associação, designadamente nos Gabinetes de Apoio à Vítima, Linhas de Apoio (Linha de Apoio à Vítima e Linha Internet Segura), Redes Especializadas e Casas de Abrigo.

A maioria das vítimas continua a ser do sexo feminino (80,5%), com idades entre os 25 e os 54 anos (36,6%) e em termos académicos, tendo em conta os dados que foi possível recolher, o ensino superior (6,3%) apresentou-se como o grau de ensino mais referenciado, seguindo-se o ensino secundário (4,6%).

Os principais canais de acesso à associação continuam a ser os Órgãos de Polícia Criminal (19,6%), bem como os amigos/conhecidos e vizinhos (14,8%), além da própria vítima.

A procura faz-se através de contactos telefónicos (57,4%) e presenciais (29,6%).

As 11.676 vítimas assinaladas em 2019 foram alvo de 11.836 autores e destes cerca de 66% eram do sexo masculino e tinham idades entre os 35 e os 54 anos (18,2%).

Os dados estatísticos, segundo a APAV, permitiram ainda apurar que as relações de intimidade (45,4%) entre autor do crime e vítima foram as mais encontradas.

O tipo de vitimação continuada precalece e os locais do crime mais referenciados para a ocorrência da vitimação foram a residência comum (51,2%), a residência da vítima (16%) e o lugar/via pública (12,1%).

Ainda de acordo com os dados recolhidos em cerca de 42% das situações foi formalizada queixa/denúncia junto de pelo menos uma entidade policial.

Quase 1500 crianças vítimas de crime em 2019

Um total de 1.467 crianças foram vítimas de crime em 2019, mais 532 do que em 2018, segundo o relatório anual da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

Este número revela que chegaram à APAV em 2019 em média quatro vitimas por dia, 28 por semana.

Do total de crianças vítimas de crime 153 tinham entre os 0 e os 3 anos, 109 entre os 4 e os 5 anos, 374 entre os 6 e os 10 anos e 831 entre os 11 e os 17 anos.

As estatísticas da APAV revelam ainda que entre os crimes contra crianças reportados à associação destacam-se a pornografia de menores (699), o abuso sexual de crianças com idade inferior a 14 anos (305) e os crimes de violação (187) .

Relativamente ao perfil das vítimas, os dados da APAV revelam que 61,9 por cento são do sexo feminino com média de idades de 11 anos e que em 27,3 por cento dos casos o autor do crime é pai ou mãe.

A APAV comemora este ano 30 anos de existência, tendo prestado apoio, desde 1990, a mais de 330.000 mil pessoas.

Apoio à Vítima, Linhas de Apoio (Linha de Apoio à Vítima e Linha Internet Segura), Redes Especializadas e Casas de Abrigo.

A APAV apoiou vítimas oriundas de 273 concelhos, dos 308 existentes.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.