O evento, transmitido ao vivo, deu ao comandante cessante da ISS, o cosmonauta russo Oleg Artemiev, a oportunidade de aludir ao conflito na Ucrânia. "Apesar das tempestades na Terra, a nossa cooperação internacional continua", disse.

Esta é a segunda estadia no espaço de Samantha Cristoforetti, uma engenheira e piloto de caça de 45 anos, que partiu para a ISS a 27 de abril.

A astronauta é a quinta mulher e a primeira não-americana a assumir o comando da estação desde que um comandante foi nomeado oficialmente em 2000.

Numa cerimónia informal e descontraída, o comandante em exercício entregou simbolicamente uma chave dourada para a sua posse, que assumirá até 10 de outubro, antes de regressar à Terra.

Artemiev elogiou o trabalho da equipa de dez astronautas de três países e descreveu a ISS como uma "continuação do programa Soyuz-Apollo, quando a relação entre Oriente e Ocidente também não era fácil".

A cooperação entre a Rússia e o Ocidente em questões espaciais sofre com a ofensiva lançada por Moscovo contra a Ucrânia em 24 de fevereiro.

As sanções ocidentais impostas à Rússia como resultado desta ofensiva afetam parcialmente a indústria aeroespacial russa e podem ter um impacto na ISS, cujos suprimentos podem ser interrompidos.

Por sua parte, Samantha Cristoforetti elogiou o trabalho dos seus companheiros de equipa, observando que todos formam "uma pequena parte da gigantesca equipa terrestre" que gere as operações da ISS.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.