"Houve duas explosões às 21h00 (14h00 em Lisboa)", indicou o chefe da polícia do leste de Jacarta, Andry Wibowo, à televisão MetroTV. "Nós suspeitamos de um ataque suicida", declarou à emissora TVOne o vice-chefe da polícia nacional, identificado apenas como Syafruddin. As duas bombas terão rebentado com um intervalo de cinco minutos esta noite, revela a polícia local num comunicado que está a ser citado pelas agências internacionais. 

Segundo Syafruddin, o autor do ataque morreu, bem como um policia. Outros cinco polícias ficaram feridos.

“Primeiro vi fumo e vidros partidos”, diz à AFP uma lojista que se encontrava no terminal. “A terra estava a tremer e eu estava chocada. Passados alguns minutos, houve outro rebentamento”.

“Estava numa ponte quando ouvi a primeira explosão… Houve um intervalo de 10 minutos entre as duas explosões”, conta Sultan Muhammad Firdaus à televisão local Kompas TV, também citado pela Agence France-Presse (AFP). “As explosões foram bastante audíveis, pude ouvi-las claramente”, acrescenta.

O terminal de Kampung Melayu é servido por autocarros e miniautocarros e está localizado numa zona da cidade não popular para estrangeiros e turistas.

Nas redes sociais as reações sucedem-se. No Twitter, a hashtag #PrayForJakarta (rezar por Jakarta) conta a esta hora com perto de 39 mil mensagens.

A Indonésia é o maior país de maioria muçulmana no mundo, sendo este o mais recente ataque. Desde janeiro de 2016 que uma série de ataques ligados ao Estado Islâmico tem atingido o país.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.