"Compreendo e manifesto total solidariedade ao Eduardo Pinheiro na sua decisão de não aceitar o convite para encabeçar a lista do PS à Câmara Municipal do Porto", afirmou António Costa à agência Lusa, depois de o secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro, ter anunciado que declinava o convite do PS para se candidatar à presidência da Câmara do Porto.

Eduardo Pinheiro foi anunciado candidato pelo PS a presidente da Câmara do Porto na terça-feira, mas esta escolha, que teve pleno acordo de António Costa, terá provocado forte contestação entre os militantes da estrutura concelhia socialista dos portuenses, que é liderada pelo deputado Tiago Barbosa Ribeiro.

À agência Lusa, António Costa defendeu que Eduardo Pinheiro se trata "de um dos melhores e mais promissores jovens quadros políticos do PS".

"E já com muitas provas dadas, quer como autarca, quer como membro do Governo, que, para bem do país, continuará a servir", disse, aqui numa alusão à continuidade de Eduardo Pinheiro no cargo de secretário de Estado da Mobilidade.

António Costa disse mesmo estar "certo de que o futuro de Eduardo Pinheiro será repleto de sucesso".

"É uma honra para o PS poder contar com a força da sua militância, lealdade e dedicação", acrescentou.

Em relação à candidatura a apresentar pelo PS para a câmara do Porto, na sequência desta decisão de Eduardo Pinheiro se afastar da corrida autárquica, o secretário-geral dos socialistas remeteu a questão para as estruturas locais do seu partido, a concelhia e a federação.

"Quanto à candidatura do PS ao Município do Porto, estou certo que, conforme resulta dos estatutos do partido, a Comissão Política Concelhia ou a Federação Distrital saberão encontrar uma solução vitoriosa", salientou.

No comunicado em anunciou o seu afastamento da corrida à autarquia da segunda cidade do país, Eduardo Pinheiro disse que recebeu "com orgulho o convite do presidente da Federação Distrital do Porto do PS [Manuel Pizarro] para encabeçar uma candidatura à Câmara Municipal do Porto".

"Contudo, após reflexão cuidada, declinei hoje o convite que me foi endereçado", referiu o governante em comunicado, ao qual a agência Lusa teve acesso.

Apesar da sua recusa, Eduardo Pinheiro agradeceu "a confiança depositada" e afirmou a sua "total disponibilidade para apoiar o partido em torno de uma candidatura alternativa ao atual poder autárquico".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.