"Na Câmara do Porto existe um compromisso entre o CDS e Rui Moreira deste o início da sua candidatura e esse compromisso é para cumprir. Em princípio, não há razões para não cumprir esse compromisso", afirmou esta manhã Fernando Barbosa, à margem da assinatura do acordo de coligação autárquico com o PSD para o distrito do Porto.

O líder centrista sublinhou que este acordo com os social-democratas abre a porta a que possam ser estabelecidas coligações a nível concelhio, contudo, à semelhança do caso do Porto, não é certo que tal aconteça nos restantes 17 concelhos do distrito.

Questionado sobre a viabilidade de uma coligação em Vila Nova de Gaia, onde o PSD já anunciou António Oliveira como candidato, Fernando Barbosa, afirmou estarem reunidas "todas as condições" para que tal aconteça.

Em fevereiro, o presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, reiterou que o partido vai apoiar o independente Rui Moreira, caso o autarca do Porto decida recandidatar-se nas eleições autárquicas de 2021, que tem de ser marcadas entre 22 de setembro e 14 outubro.

"Nós já o reiteramos através das nossas estruturas locais, através da concelhia do Porto que estamos como sempre estivemos ao lado de Rui Moreira. No caso de tomar a decisão da sua recandidatura, estaremos uma vez mais disponíveis para o apoiar e pela terceira vez ganharmos as eleições para a Câmara do Porto", afirmou, à data, quando questionado, no Porto, sobre se seria a favor de uma "grande coligação de direita" de apoio à recandidatura de Rui Moreira.

Apesar da declaração de apoio dos centristas ao independente Rui Moreira, que lidera a autarquia portuense desde 2013, o presidente da Distrital do Porto do PSD, Alberto Machado, disse não ter ainda perdido a esperança de que o projeto político do PSD para a Câmara do Porto, liderado Vladimiro Feliz, venha a conquistar o apoio do CDS.

"Naturalmente, nós, no PSD, não perdemos ainda a esperança de que o CDS possa vir ainda a reconhecer que o projeto político que vamos apresentar para a cidade é melhor e, portanto, venham, a estar connosco nesta luta, até porque Rui Moreira ainda não disse se é candidato, ainda não se sabe se será e, portanto, a esse nível nós aguardamos com alguma expectativa", afirmou.

O social-democrata sublinhou que o objetivo das duas distritais é aumentar a implantação no distrito, mas cabe agora às concelhias fazer o trabalho de entendimento.

Há quatro anos, referiu, PSD e CDS-PP apresentaram-se a eleições com 11 coligações, num total de 18 distritos.

No dia 23 de março, o presidente do PSD, Rui Rio, anunciou que o antigo vice-presidente da Câmara Municipal do Porto Vladimiro Feliz é o candidato do PSD a esta autarquia, tendo destacado o autarca como "um homem confiável", conhecedor do Porto e "leal".

Nas últimas autárquicas, em 2017, o PSD, coligado com o Partido Popular Monárquico, apoiou Álvaro Almeida na corrida eleitoral, tendo-se ficou pelos 10,4% dos votos, menos de metade dos votos conseguidos em 2013, e elegendo, apenas, um vereador.

O CDS-PP não apresentou candidato, tendo apoiado o independente Rui Moreira que foi reeleito ao obter 44,46% dos votos, conquistando a maioria absoluta na vereação da câmara municipal, ao eleger sete vereadores.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.