"Uma unidade de segurança de combatentes do Estado Islâmico executou os ataques de ontem em Londres" foi a mensagem publicada na plataforma Amag, associada ao EI, e também na app de mensagens Telegram às 22h26.

A mensagem de reivindicação partilhada pelo EI na plataforma Amag foi publicada posteriormente por Rita Katz, diretora do SITE, centro norte-americano de vigilância de redes sociais usadas por terroristas, na sua conta de Twitter:

As autoridades inglesas ainda não confirmaram a identidade dos atacantes nem as possíveis ligações existentes a grupos terroristas, nomeadamente ao EI. "Posso assegurar e confirmar que iremos revelar a identidade dos três homens diretamente responsáveis pelos ataques de ontem, 3 de junho, logo que seja operacionalmente possível", referiu Mark Rowley, o comissário-adjunto que tem sido porta-voz das investigações.

Theresa May afirmou também que a polícia já identificou os três atacantes e que irá revelar os seus nomes "quando a investigação permitir", segundo a CNN.

Mark Rowley adiantou também que a equipa de investigação está "a trabalhar incansavelmente" para processar as provas existentes na zona dos ataques e poder posteriormente libertar as restrições impostas. "Esperamos que os cordões de segurança em torno da estação de London Bridge possam ser retirados durante a manhã de amanhã", disse, recomendando no entanto que o site seja consultado antes de as pessoas se dirigirem àquela área.

O porta-voz da polícia reforçou, uma vez mais, que as pessoas não devem estranhar um reforço de segurança nas ruas - tanto de policias armados como não armados. "E o nosso planeamento de segurança e policiamento para eventos está a ser revisto, o público irá ver também medidas adicionais nas pontes de Londres de forma a manter as pessoas seguras".

Neste sentido, foram colocadas barreiras de proteção na noite de ontem, 4 de junho, em várias pontes de Londres, fazendo uma separação entre a estrada e o passeio.

A polícia metropolitana fez um novo ponto de situação em que avança com as seguintes informações:

- A polícia confirmou 11 detenções e, na manhã de hoje, 5 de junho, confirmou ter feito buscas em mais duas moradas, uma em Newham e outra em Barking, ambas na zona leste de Londres, tendo levado um número indeterminado de pessoas para custódia pessoal.

- As 11 pessoas detidas de momento são:

Uma mulher de 38 anos detida na morada 1 de Barking;
Um homem de 28 anos detido na morada 2 de Barking;
Um homem de 52 anos detido na morada 2 de Barking;
Um homem de 55 anos detido na morada 2 de Barking;
Um homem de 27 anos detido na morada 2 de Barking;
Uma mulher de 49 anos detida na morada 2 de Barking;
Uma mulher de 60 anos detida na morada 2 de Barking;
Uma mulher de 19 anos detida na morada 2 de Barking;
Uma mulher de 27 anos detida na morada 2 de Barking;
Uma mulher de 24 anos detida na morada 2 de Barking;
Uma mulher de 53 anos detida na morada 2 de Barking;

- Durante as detenções não foi usada qualquer arma;

- Todos os detidos estão presos ao abrigo da legislação  do Terrorism Act.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.