Pelo menos três pessoas morreram, cinco ficaram feridas com gravidade e 22 com ferimentos ligeiros no acidente com um autocarro que se despistou esta manhã na A1, na zona da Mealhada, a caminho de Fátima, informou a Proteção Civil. O primeiro balanço indicara dois mortos, mas a Proteção Civil atualizou posteriormente esta informação.

À Lusa, fonte daquele organismo confirmou que as vítimas mortais são dois homens, de 63 (o condutor e dono do autocarro) e 77 anos, e uma mulher de 52 anos.

Em declarações aos jornalistas, perto do local do acidente, a médica do INEM Paula Neto adiantou que os feridos graves “inspiram muitos cuidados” e que há também três feridos “intermédios”, que “não são de gravidade máxima mas o suficiente para precisarem de cuidados médicos”.

O autocarro partiu esta manhã de Guimarães, no distrito de Braga, com peregrinos oriundos de três freguesias daquele concelho e tinha como destino o Santuário de Fátima, tendo-se despistado e embatido num poste elétrico cerca das 09:20 na A1, na zona da Mealhada.

Segundo o INEM, o Hospital Universitário de Coimbra recebeu oito daqueles feridos (três dos críticos e cinco dos graves) e 12 dos 22 feridos ligeiros, sendo que para o Hospital de Aveiro foram encaminhados dois feridos críticos, um ferido grave, oito feridos ligeiros e duas crianças foram socorridas no Hospital Pediátrico.

Ao início da tarde, em declarações aos jornalistas, perto do local do acidente, a GNR adiantou que “no terreno estão elementos do Núcleo de Investigação de Crimes em Acidentes de Viação (NICAV) a recolher informações mas ainda é muito prematuro falar”, no entanto, referiu, “há possibilidade de um pneumático ter rebentado”.

Carlos Tavares, da Proteção Civil, referiu que estiveram no terreno 57 viaturas, das quais cinco eram médicas e duas ambulâncias com suporte imediato de vida, 130 operacionais, um helicóptero, que acabou por não ser necessário utilizar, e duas equipas de apoio psicológico.

A circulação na A1 esteve cortada nos dois sentidos até cerca das 15.00, estado já restabelecida mas com “fortes condicionantes”.

Antes, também em declarações aos jornalistas, perto do local do acidente, o responsável da Proteção Civil Carlos Tavares disse que há um morto já retirado do autocarro e duas pessoas encarceradas “com ausência de sinais vitais”.

O operacional adiantou que o autocarro, que seguia no sentido norte-sul da A1 em direção a Fátima, “terá saído da faixa de rodagem e embatido contra um poste de eletricidade”.

Na altura, Carlos Tavares referiu que “se está a aguardar por uma grua da EDP para que haja condições de segurança para prosseguir com os trabalhos de desencarceramento”, sendo a “a estabilização do poste a maior dificuldade” para os trabalhos de socorro.

À Lusa, fonte do INEM afirmou que no local estão seis Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação, três Ambulâncias de Suporte Imediato de Vida, duas unidades de apoio psicológico, uma Viatura de Intervenção em Catástrofe, 20 ambulâncias e um helicóptero.

O acidente ocorreu pelas 09:29 e o veículo, que seguia no sentido Norte-Sul, encontra-se neste momento em sentido contrário, ao quilómetro 212.

Segundo um familiar de um dos feridos ligeiros, o autocarro saiu esta manhã de Guimarães, juntamente com outros dois, no âmbito de uma peregrinação até ao Santuário de Fátima.

Motorista e dono de autocarro é uma das vitimas mortais

O motorista e dono do autocarro que esta manhã se despistou na A1 é uma das vítimas mortais do acidente, que causou mais dois mortos, cinco feridos graves e 22 ligeiros, adiantou à Lusa um familiar de um passageiro.

Segundo aquela fonte, o proprietário da empresa Transportes Roda do Rei era o motorista do autocarro que se despistou na zona da Mealhada e embateu num poste de eletricidade, cerca das 09:30.

O homem era natural da localidade de Airão, em Guimarães, sendo que as outras vítimas mortais, um homem e uma mulher, eram da freguesia de Sampaio, no mesmo concelho, no distrito de Braga.

Câmara de Guimarães envia condolências às famílias e lamenta “trágico acidente”

A Câmara de Guimarães lamentou “o trágico acidente” ocorrido hoje na Autoestradda 1 (A1), na zona da Mealhada, com um autocarro e passageiros daquele concelho, que seguiam para o Santuário de Fátima, causando três mortos e vários feridos graves.

“O Município de Guimarães apresenta as mais sentidas condolências às famílias e amigos das vítimas do trágico acidente que aconteceu este sábado, 21 de maio, ocorrido na A1, na zona da Mealhada, na sequência do despiste de um autocarro que partiu da freguesia de Figueiredo, concelho de Guimarães, com destino ao Santuário de Fátima”, refere a autarquia, em comunicado.

O município acrescenta na nota que “está em coordenação com as diversas autoridades, nomeadamente as de proteção civil e de socorro”, assim como “a prestar o auxílio que for necessário às famílias das vítimas e aos feridos deste trágico acidente”.

(Artigo atualizado às 17:29)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.