Ao todo, 56 presos morreram no motim do complexo penitenciário Anísio Jobim (Compaj). Deste número, pelo menos 36 vítimas já foram identificadas.

O Departamento de Polícia Técnico-Científica do Amazonas (DPTC) informou que a identificação dos corpos ocorreu através de impressão digital, arcada dentária e de exames de DNA.

Além da identificação dos corpos, as autoridades brasileiras também se esforçam para recapturar presos que fugiram durante o motim.

Segundo informações da rede de televisão brasileira Globo, cerca de 100 homens ainda estão foragidos, embora haja divergência sobre o número de presos que escaparam.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.