A droga apreendida no ‘narcosubmarino’ – como chamaram as autoridades ao primeiro submarino com drogas intercetado na Europa – estava repartida em 152 pacotes, disse a mesma fonte, em comunicado.

A embarcação, de onde os narcotraficantes pretendiam retirar a droga para a transferir para outro navio, foi rebocada nas últimas horas para o porto de Aldán (Cangas) e içada para um cais para dar início às investigações.

Na operação, coordenada pela Guarda Civil, mas também participada pela Polícia Nacional espanhola e a Agência Tributária, foram detidas duas das pessoas que viajavam no submarino, ambas de nacionalidade equatoriana, estando agora as autoridades à procura de uma terceira pessoa que fugiu e está desaparecida.

Para retirar a embarcação da ria de Aldán foram utilizadas duas gruas de grande dimensão, depois de várias tentativas falhadas que decorreram na segunda-feira.

Fontes policiais disseram à agência EFE que as suspeitas recaem sobre três organizações de narcotraficantes, as quais detêm capacidade económica e logística para utilizar um meio de transporte como o submergível cuja construção deve ter custado mais de dois milhões de euros.

As investigações, que contam com a colaboração das autoridades de Portugal, dos Estados Unidos e do Brasil, começaram quando o Centro de Análise e Operações de Drogas alertou o Centro Antiterrorismo e Crime Organizado de que um submarino estava a atravessar o Atlântico em direção a Espanha e estava carregado de cocaína.

A partir desse momento, a polícia espanhola reforçou o dispositivo de deteção de embarcações em toda a região costeira até detetar a presença do submarino.

A transferência da droga foi impossibilitada por um temporal no mar que obrigou os tripulantes a navegar até à costa para poderem fugir.

No entanto, a manobra foi detetada por uma patrulha da Guarda Civil que localizou o ponto onde estava a embarcação graças a equipamento de visão noturna.

A Guarda Civil conseguiu deter de imediato uma pessoa, equipada com um fato de mergulho, tendo capturado um segundo traficante na manhã de domingo. O terceiro tripulante ainda está em fuga.

A investigação continua aberta para, segundo explicou a Guarda Civil, determinar a origem da droga e a organização que a iria receber em Espanha.

Embora o uso de submarinos para tráfico de droga seja muito comum nos Estados Unidos, esta foi a primeira vez que esse sistema foi detetado na Europa.

O valor da droga apreendida pode chegar a 100 milhões de dólares, ou seja, cerca de 90 milhões de euros.

[Notícia atualizada às 15:40]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.