O homem, de nacionalidade holandesa - e que já não é visto desde o início da madrugada de quinta-feira -, vivia sozinho num veleiro fundeado no Guadiana e poderá ter caído ao rio quando regressava à embarcação, disse à Lusa o comandante da capitania dos portos de Vila Real de Santo António e Tavira.

"Na quinta-feira à tarde, quando tomámos conhecimento da situação, foi ativada uma equipa da Polícia Marítima que foi ao local e viu junto ao veleiro do senhor um pequeno bote, virado ao contrário, e um saco de compras em cima da borda do veleiro, o que indicia que poderá ter caído à água", adiantou Rui Andrade.

A capitania foi alertada para o desaparecimento às 16:30 de quinta-feira, pelo comando da GNR de Alcoutim, que por sua vez recebeu a informação através de pessoas que conheciam o desaparecido e que já não o viam desde a noite anterior, não havendo testemunhas da queda ao rio.

As buscas, que tiveram início há cerca de 24 horas, foram hoje reforçadas com mais meios da Polícia Marítima, operação em que está também envolvida a capitania marítima de Huelva, em Espanha, com uma embarcação de salvamento.

Segundo Rui Andrade, por o rio estar sujeito a correntes de maré, um corpo ou objeto que se encontre dentro de água, se não ficar preso, tem um "movimento livre, não sendo possível prever onde poderá estar".

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.