“No caso do início de um conflito, o território da Polónia e sua infraestrutura militar tornam-se o objetivo principal”, disse Ruslán Kosiguin, segundo a agência oficial Belta.

O militar bielorrusso salientou que as autoridades polacas devem estar cientes de que, em caso de ataque, a Bielorrússia irá concentrar a sua resposta em “centros de decisão, sistemas de controlo, centros de implementação, arsenais e bases, além de alvos económicos importantes”.

“Estamos preparados para vários desenvolvimentos da situação. Não queremos que esse roteiro seja militar, mas no Ocidente devem claramente entender que a nossa resposta a qualquer provocação armada será inequivocamente adequada e firme”, disse.

Kosygin assinalou que a Bielorrússia dá especial atenção à implementação de sistemas de defesa antimísseis dos EUA na região europeia, e particularmente na Polónia, onde a base está prestes a ser lançada, o que é visto por Minsk como um desafio e uma ameaça militar.

“Todo o conjunto de preparativos militares no Ocidente, incluindo o território da Polónia, é uma amostra do trabalho planeado por Washington e Bruxelas, que sob a desculpa de conter ameaças do Oriente (…) formam grupos militares para a possível utilização nesta direção”, disse.

Os militares bielorrussos concluíram que “em essência, tratam-se de preparativos para a realização de operações militares na direção leste”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.