A fonte precisou que 17 — entre os quais seis crianças e uma mulher — morreram na localidade de Hamuriya, onde os aviões tinham vários alvos, por se tratar de uma povoação controlada pela fação islamita Legião da Misericórdia.

Outras duas mulheres morreram em Beit Sua e outra pessoa em Hasrasta, segundo a organização não-governamental.

Na localidade vizinha de Misraba, registou-se um morto, ao passo que em Arbin perderam a vida quatro pessoas, duas das quais eram menores de idade.

No total, há pelo menos 75 feridos e vários deles encontram-se em estado grave, pelo que o número de vítimas mortais poderá aumentar nas próximas horas, advertiu o Observatório.

A região de Guta Oriental está a ser diariamente atacada pela aviação de guerra síria e russa, e no sábado seis pessoas morreram e 17 ficaram feridas em Arbin e Hasrasta.

A Rússia, apoiante do Governo do Presidente sírio Bashar al-Assad, sugeriu na passada segunda-feira uma trégua de 48 horas em Guta Oriental, a partir de terça-feira, para travar a escalada da violência ocorrida nas duas semanas anteriores, quando foram mortas 151 pessoas, entre as quais 35 menores, de acordo com os números da ONG.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.