“Estamos plenamente empenhados na aplicação do acordo [UE-Turquia] e já dissemos muitas vezes que é um contrato de confiança mútua”, disse hoje o porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas, acrescentando que Bruxelas tudo fará “para que seja bem-sucedido”.

“No final deste processo, esperamos a conclusão geral deste contrato”, adiantou, referindo-se às declarações do Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, ameaçando abrir as fronteiras do país e deixar passar os migrantes que pretendem entrar na Europa em reação à aprovação, no Parlamento Europeu (PE), de uma resolução que recomenda o congelamento das negociações de adesão.

Schinas adiantou também que “há contactos [entre Bruxelas e Ancara] a todos os níveis, técnicos e políticos”.

“No que diz respeito ao voto, o PE é uma instituição democrática”, disse ainda o porta-voz do executivo comunitário, na conferência de imprensa diária.

A ameaça de Erdogan acontece um dia depois de o Parlamento Europeu ter aprovado, numa resolução não vinculativa, o congelamento no processo da adesão da Turquia à União Europeia, iniciado em 2005

"Ouçam bem: Se forem mais longe, estas fronteiras abrir-se-ão. Ponham isso na vossa cabeça", acentuou o Presidente turco num discurso proferido em Istambul.

Ancara e Bruxelas celebraram um acordo em março passado que permite barrar o fluxo de refugiados para a UE.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.