A decisão foi anunciada numa altura em que os familiares dos 329 passageiros e tripulantes que seguiam a bordo do avião, que fazia a ligação entre Kuala Lumpur e Pequim, assinalam o quarto aniversário do desaparecimento do aparelho, ocorrido a 08 de março de 2014.

Em janeiro, a Malásia impôs à Ocean Infinity, uma empresa norte-americana com sede em Huston (Texas), a decisão de só pagar pelos serviços se houvesse resultados nas buscas do avião desaparecido, em mais uma tentativa para resolver o maior mistério de sempre da aviação comercial.

A decisão do Governo malaio foi tomada precisamente um ano depois de, em colaboração com as autoridades australianas e chinesas, Kuala Lumpur ter dado como terminadas as operações de busca no sul do oceano Índico.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.