Na cerimónia conduzida pela atriz Joana Barrios e pela comediante Beatriz Gosta vão também ser premiadas as juntas de freguesia de Campolide e da Misericórdia, ambas de Lisboa.

Os Prémios Arco-Íris reconhecem, desde 2003, pessoas e instituições que se distinguem “na luta contra a discriminação em função da orientação sexual, da expressão e identidade de género e características sexuais” em Portugal, lê-se num comunicado da associação.

A lista de premiados conta com nomes como o humorista Diogo Faro, o músico Alex D’Alva Teixeira, a dupla Fado Bicha, as jornalistas Aline Flor, do Público, e Joana Martins, da RTP, e o Grupo Desportivo Estoril Praia.

O filme “Variações” de João Maia é também distinguido com o Prémio Arco-Íris, que a associação espera incentivar mais realizadores “a abordar a temática LGBTI de uma forma cada vez mais clara e abrangente, sem medos ou silêncios”.

Além dos Prémios Arco-Íris, a ILGA Portugal vai também entregar hoje à noite o Prémio ex aequo, atribuído ao apresentador de televisão José Carlos Malato, e o Prémio AMPLOS ao Sector de Humanização do Instituto de Apoio à Criança.

A 17.ª edição da cerimónia, que decorre hoje no Capitólio, em Lisboa, com atuações dos músicos Catarina Munhá e Hélio Morais, assinala os 10 anos da aprovação na Assembleia da República do casamento civil entre pessoas do mesmo sexo.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.