Numa informação enviada à Lusa, fonte do gabinete da vereadora eleita pelo PSD Teresa Leal Coelho indica que os sociais-democratas apresentaram, na reunião extraordinária da autarquia, que está a decorrer hoje à tarde por videoconferência, uma proposta "de criação de um governo de crise sobre a covid-19, para gerir o orçamento disponível" na Câmara de Lisboa (PS), "na ordem dos 300 milhões [de euros]".

Esta verba destina-se, acrescenta a mesma informação, para "reforçar a capacidade de resposta na fase de intervenção clínica e para garantir apoio imediato e a curto prazo às famílias e às microempresas a operar em Lisboa, que tiveram de cessar ou que diminuir substancialmente a respetiva atividade, além das medidas imediatas de higiene urbana e [apoio] às pessoas mais vulneráveis".

Os 300 milhões de euros não serão canalizados "exclusivamente para compras", integrando as "medidas já adotadas pelo município e em curso", bem como "as medidas que vierem a ser decididas para reforçar a resposta e também para o apoio às famílias, às empresas e às instituições de trabalho social", explica a mesma fonte, notando que a verba foi confirmada pelo presidente da autarquia, Fernando Medina.

A sessão extraordinária da Câmara, destinada unicamente a debater a pandemia de covid-19, foi proposta pela vereadora Teresa Leal Coelho, a quem a concelhia do PSD retirou a confiança política em novembro.

Na carta que enviou ao presidente da autarquia, Fernando Medina (PS), e a que a Lusa teve acesso na segunda-feira, Teresa Leal Coelho lembra que a recente declaração do estado de emergência, que entrou em vigor às 00:00 de domingo e se irá prolongar por 15 dias, e as medidas que o Governo decretou nesse âmbito "irão determinar uma alteração substancial do enquadramento jurídico e, consequentemente, das condições de contexto de vida na cidade de Lisboa por um período previsivelmente prolongado".

Manifestando a sua disponibilidade para participar nas ações definidas e a definir pelo município, a vereadora salienta que todos os grupos políticos representados na Câmara de Lisboa têm "uma quota parte de responsabilidade" relativamente à implementação das medidas e "à decisão de canalização de recursos" para o combate à pandemia.

Teresa Leal Coelho manifesta ainda "total solidariedade" para com os que se encontram no terreno, "desde o presidente e os vereadores do executivo, às forças de segurança, aos bombeiros e a todos os funcionários que estoicamente se colocaram à disposição para, no terreno, garantir as melhores condições possíveis, no atual contexto, à vida e às pessoas em Lisboa, particularmente aos mais vulneráveis".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 360 mil pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 17.000 morreram.

Em Portugal, há 33 mortes e 2.362 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.