De acordo com notícia do The Guardian, a Câmara Municipal de Paris foi multada por empregar demasiadas mulheres em cargos superiores, uma decisão que foi considerada “absurda” pela presidente da câmara, Anne Hidalgo.

A multa de 90 mil euros foi exigida pelo Ministério da Função Pública francês, com base no facto de a câmara ter quebrado as regras nacionais sobre a paridade de género.

Hidalgo disse ter sido multada porque 11 mulheres e apenas cinco homens foram nomeados para cargos de gestão na câmara municipal em 2018, o que significa que 69% das nomeações foram para mulheres.

"A direção da câmara municipal tornou-se, de repente, demasiado feminista", disse Hidalgo, que foi reeleita para um novo mandato no ano passado.

A Câmara Municipal violou uma regra que data de 2013 que estipula que um género não deve representação superior a mais de 60% em cargos de direção. Hidalgo afirmou que levaria pessoalmente o cheque da multa ao governo, juntamente com os seus vereadores e todas as mulheres que trabalham para ela.

"Esta multa é obviamente absurda, injusta, irresponsável e perigosa", referiu, acrescentando que as mulheres em França deveriam ser promovidas com "vigor porque a disparidade em toda a França ainda é muito grande".

"Sim, para um dia atingir a paridade, temos de acelerar o ritmo e assegurar que sejam nomeadas mais mulheres do que homens”, reiterou.

A ministra francesa da Função Pública, Amélie de Montchalin, reconheceu que a multa dizia respeito a 2018 e que, entretanto, a regra absurda foi revogada.

"Quero que a multa paga por Paris para 2018 financie ações concretas de promoção das mulheres no serviço público. Convido-vos ao ministério a discuti-las”, disse no Twitter, dirigindo-se a Anne Hidalgo.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.