A notícia, avançada pelo The Wall Street Journal (WSJ), cita o fundador do grupo britânico SCL Group (detentor da Cambridge Analytica), Nigel Oakes.

De acordo com a referida publicação, a decisão de pôr fim à atividade está relacionada com a perda de vários clientes e com a existência de vários processos legais contra a companhia.

A notícia do encerramento foi entretanto confirmada pela própria Cambridge Analytica, num comunicado revelado pela CNBC.

Na nota, a empresa adianta que deu início a um processo de falência e que cessou “todas as atividades”.

O grupo britânico de que faz parte a empresa, o SCL (Strategic Communication Laboratories) também irá encerrar.

A Cambridge Analytica é acusada de ter utilizado dados de 87 milhões de utilizadores do Facebook, sem o seu consentimento, para elaborar um programa informático destinado a influenciar o voto dos eleitores, favorecendo a campanha de Donald Trump.

Em abril, o CEO Facebook Mark Zuckerberg foi chamado ao Congresso norte-americano para explicar o caso e o Parlamento britânico também já requereu a sua comparência.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.