Os resultados foram divulgados pela Federação Europeia dos Transportes e Ambiente (T&E), que diz que os testes confirmam que os governos da União Europeia devem acabar com os incentivos ao GNL.

Em Portugal o imposto especial sobre o consumo aplicado ao gás é de 1,86 euros por unidade de energia, enquanto no caso do gasóleo é de 13,54 euros, nota a associação ambientalista portuguesa Zero, que faz parte da T&E.

A Zero defende que “se o imposto sobre o gasóleo fosse aplicado na mesma medida ao gás, Portugal poderia beneficiar de receitas adicionais de impostos na ordem dos 7,98 milhões de euros”.

De acordo com a T&E, organização ambientalista não governamental que representa 58 entidades de 26 países, os resultados dos testes são contrários aos argumentos apresentados pelos fabricantes dos camiões movidos a GNL, que dizem que estes veículos reduzem as emissões de NOx em mais de 30%.

Nos testes a três camiões a GNL, em cidade ou em estrada, as emissões variaram entre dois a cinco vezes mais NOx do que num camião a gasóleo.

Em comunicado a Zero exige que o Governo deixe de promover o GNL e incentive o setor da logística na transição das frotas a GNL para frotas elétricas.

E nota que apesar de o setor do gás tentar fazer crer que o GNL tem um benefício climático, “a verdade é que continua a tratar-se de um combustível fóssil, como o petróleo e o carvão, por isso contribui para as alterações climáticas”.

Nas cidades, acrescenta-se no comunicado, a poluição emitida pelos camiões a GNL “pode causar impactos na saúde ainda mais significativos do que os camiões a gasóleo”.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.