De acordo com o jornal O Globo, a cantora estava internada desde dia 13 de abril, data em que completou 97 anos, no Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) da Coordenação de Emergência Regional (CER), no bairro do Leblon, na zona sul do Rio de Janeiro.

"Ela estava sempre procurando um caderninho pra escrever uma música, estava sempre cantarolando para o neto. Até a última semana ela estava super bem, com a cabeça ótima. Ela estava muito fraquinha", relatou a nora, Eliana Lara Martins da Costa, citada pelo jornal.

Ivone Lara - que ficou conhecida como a “Grande Dama do Samba” – nasceu em 1921 numa família de amantes da música popular e, na época, enfrentou preconceitos por ser mulher e sambista.

O seu maior sucesso foi “Sonho meu”, música que se tornou mais popular ao ser cantada por Maria Bethânia e Gal Costa.

Depois da morte do pai, com apenas três anos, e da mãe, aos 12 anos, foi criada pelos tios, e com eles aprendeu a tocar cavaquinho, a ouvir samba, e teve aulas de canto com Lucília Villa-Lobos.

O Ministério brasileiro da Cultura emitiu uma nota de pesar, lembrando que Ivone Lara "foi a primeira mulher a assinar sambas e sambas-enredo no país", como os sucessos, "Sorriso Negro" e "Alguém me avisou".

Com 19 álbuns gravados, as suas músicas foram interpretadas por grandes nomes da música brasileira, como Elba Ramalho, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, e Arlindo Cruz.

Em 2016, foi homenageada com a Ordem do Mérito Cultural, a maior distinção pública no setor cultural, no Brasil.

Cantores brasileiros já lamentaram a morte da artista na rede social Facebook, nomeadamente Djavan, que a descreveu como "uma mulher admirável, uma sambista genial”.

“A música mundial perdeu ontem uma de suas grandes damas. Salve Dona Ivone Lara!”, acrescentou.

Marisa Monte escreveu, na mesma rede social: "Nossa querida dona Ivone, a dama do samba, segue seu caminho brilhante e agora está iluminando o céu. Obrigada, dona Ivone!".

Por seu turno, a atriz Zezé Motta, que contracenou com ela no filme "A força de Xangô", escreveu: "Em 2015, entrou para a lista das 10 Grandes Mulheres que Marcaram a História do Rio. Dona Ivone foi a maior compositora do samba e da música brasileira. Nenhuma outra mulher teve tantas vozes cantando suas músicas ou gravadas como ela. Descanse em paz mulher forte e guerreira".

O corpo da artista será velado hoje na quadra da escola de samba Império Serrano.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.