O homem, de 25 anos, encontrava-se com “prognóstico muito reservado” no Hospital de Santa Maria, mas acabou por não resistir aos ferimentos, informou o Centro Hospitalar Lisboa Norte.

Após a queda de uma torre de telecomunicações em Alcabideche, o trabalhador de 25 anos sofreu uma paragem cardiorrespiratória, situação que foi revertida no local pela equipa do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), e foi transportado para o Hospital Santa Maria.

Os dois trabalhadores feridos, dois homens de 24 e 25 anos, encontravam-se em “estado muito grave” e foram transportados para unidades hospitalares em Lisboa, disse à Lusa fonte dos bombeiros.

“Temos danos, obviamente, na estrutura da torre, na casa onde a torre estava assente e ainda num veículo ligeiro que estava estacionado, e eventualmente no portão da casa do outro lado, porque a torre conseguiu acertar num caminho que faz a passagem para uma propriedade”, disse à Lusa fonte dos Bombeiros Voluntários de Alcabideche, no distrito de Lisboa.

Os principais danos são no edifício sobre o qual a torre de telecomunicações estava assente, “um edifício com altura de dois pisos”, construído há muitos anos e que já foi usado pela antiga empresa portuguesa de telecomunicações Telefones de Lisboa e Porto (TLP), referiu fonte dos bombeiros.

Sem se saber ainda as causas para a queda da estrutura, os Bombeiros Voluntários de Alcabideche indicaram que “a torre da antena entrou num caminho que divide duas propriedades”, mas “não há desalojados”.

No local da ocorrência, Manuel Luís Jerónimo, da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), adiantou que “os trabalhadores estavam a encetar trabalhos numa antena de grande dimensão” e que a plataforma sobre a qual estava assente cedeu.

“Só precisamos de tentar perceber o que se passou enquanto os trabalhadores da empresa estavam a encetar trabalhos”, afirmou Manuel Luís Jerónimo.

A fonte dos bombeiros explicou à Lusa que “um dos trabalhadores ficou debaixo da torre e outro na lateral”, e que foram retirados com o apoio de equipamento para elevar a estrutura.

No momento da queda, “os dois trabalhadores estavam em cima da torre, com altura aproximadamente de 35 a 40 metros”, indicou a mesma fonte.

Há ainda registo de um terceiro elemento que teve de receber apoio psicológico, por se encontrar em “estado de choque”, adiantou a fonte dos Bombeiros Voluntários de Alcabideche, referindo que não há conhecimento de mais trabalhadores a operar nesta torre de telecomunicações.

Segundo os bombeiros, um dos dois feridos, um homem de 24 anos, foi transportado para o Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, e o outro, um homem na casa dos 30 anos - que sofreu uma paragem cardiorrespiratória, situação convertida no local - foi transportado para o Hospital Santa Maria, na mesma cidade.

De acordo com informação da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, a ocorrência de “queda de estruturas temporárias ou móveis” ocorreu pelas 10:40, mobilizando 19 operacionais de socorro e oito meios terrestres.

A Lusa questionou a Câmara Municipal de Cascais sobre a ocorrência, mas a autarquia disse que “essas informações devem ser dadas pela empresa responsável pelos trabalhos de obra”.

Altice Portugal confirma que antena caída em Alcabideche é "sua propriedade"

Em comunicado, a "Altice Portugal confirma que a antena de telecomunicações caída em Alcabideche, situada no seu edifício, é de sua propriedade e estava a ser intervencionada pela Viatel, empresa contratada para a manutenção e revisionamento da mesma".

A dona da Meo refere ainda que "acionou de imediato o seu gabinete de crise, no sentido de acompanhar a situação e garantir o cabal apuramento dos factos ocorrido, tendo solicitado de imediato a abertura de um processo de inquérito e averiguação".

O grupo liderado por Alexandre Fonseca adianta que "que as seguradoras já foram informadas do ocorrido e solicitado o acionamento imediato dos seus serviços".

"Asseguramos que todos os trabalhos em curso se encontravam a ser executados debaixo de procedimentos de coordenação de segurança em obra", garante a operadora de telecomunicações, sublinhando que, neste momento, "a principal preocupação da Altice Portugal é a saúde dos dois colaboradores envolvidos neste acidente da empresa contratada".

[Notícia atualizada às 16h18]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.