“O meu mandato como presidente do Eurogrupo terminará em 13 de julho de 2020. Na quinta-feira, informarei os meus colegas do Eurogrupo da minha decisão de não concorrer a um segundo mandato, uma vez que em 15 de junho deixarei o do cargo de ministro das Finanças de Portugal”, escreveu Centeno na sua conta oficial na rede social Twitter.

Centeno acrescenta que, também na reunião do Eurogrupo de quinta-feira, que ainda será celebrada por videoconferência, lançará “o convite à apresentação de candidaturas” e delineará o processo de eleição para a sua sucessão.

Deste modo, embora cesse funções como ministro das Finanças na próxima segunda-feira, data em que tomará posse João Leão, Centeno continuará a desempenhar as funções de presidente do Eurogrupo ainda durante aproximadamente mais um mês.

Eleito em 04 de dezembro de 2017 para a presidência do Eurogrupo, por um período de dois anos e meio, Centeno despedir-se-á assim do cargo em julho, tornando-se o primeiro presidente do fórum informal de ministros das Finanças da zona euro a cumprir apenas um mandato.

Centeno foi o terceiro presidente do Eurogrupo, depois do luxemburguês Jean-Claude Juncker (2005-2013) e do holandês Jeroen Dijsselbloem (2013-2018).

O Presidente da República aceitou hoje a exoneração de Mário Centeno como ministro de Estado e das Finanças, proposta pelo primeiro-ministro, e a sua substituição por João Leão, até agora secretário de Estado do Orçamento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.